25 de junho de 2019

4 passos para se livrar definitivamente das dívidas.

quatro 150x150 4 passos para se livrar definitivamente das dívidas.Você é um endividado? Se sim, infelizmente você faz parte da maioria. 2/3 dos brasileiros possuem dívidas, algumas mais expressivas, outras menos significativas, mas no geral toda dívida significativa começa pequena e vai crescendo ao longo dos meses e anos.

Chamo de dívida aquele valor devido que a pessoa não sabe exatamente como e quando irá pagá-lo. Parcelamentos devidamente equacionados, onde estão computados no orçamento mensal e são pagos na data correta, eu não estou chamando de dívida.

Apresento 4 passos sequenciais para você se livrar das dívidas e dar um quinada em sua vida financeira.

  1. Descubra quanto e para quem você deve.
  2. Cancele cartões de crédito e se livre dos talões de cheque.
  3. Faço um orçamento doméstico.
  4. Mude sua filosofia de vida.

Descubra quanto e para quem você deve.

Muitos não sabem nem ao menos quanto devem e para quem. São faturas e mais faturas atrasadas do cartão de crédito, cheques voadores que vão e voltam constantemente, possuem o nome escrito em todos os serviços de proteção ao crédito e ainda carnês de lojas de compras parceladas. O primeiro passo é procurar o SERASA e o SPC de sua cidade, serviços de proteção ao crédito, e descobrir quanto e para quem você deve. Feito isto procure seus credores e negocie o pagamento das dívidas. Ao negociar o pagamento os serviços de proteção tem a obrigação legal de retirar seu nome do cadastro de devedores. Agora realmente negocie; não aceite a primeira oferta de pagamento, exija redução dos juros para valores aceitáveis.

Cancele cartões de crédito e se livre dos talões de cheque.

Os juros cobrados no cartão e no cheque são os maiores do mercado. São juros absurdos que chegam a 15% ao mês. Com juros nestes patamares sua dívida dobra a cada 5 meses. Portando esqueça ambas as formas de crédito e negocie junto ao seu banco como quitar as dívidas existentes. Também não aceite a primeira oferta, procure parcelar em parcelas que você realmente consiga pagar e negocie a redução dos juros. É interessante se fazer um pacote único, pegue as dívidas que você negociou no SERASA/SPC e inclua-as ao negociar com seu banco, assim ele quita as dívidas junto aos estabelecimentos que você deve e você passa a dever somente ao seu banco.

Faça um orçamento doméstico.

Com base na renda familiar líquida monte seu orçamento doméstico. Neste orçamento não se esqueça de incluir o valor da parcela mensal negociada com o banco e demais dívidas fixas, como: aluguel, mensalidades escolares, transporte, remédios, salão de beleza e alimentação. Comece o mês pagando tais dívidas e viva um mês à vista com o dinheiro que sobra. Se limite a viver de acordo com sua condição financeira.

Mude sua filosofia de vida.

As propagandas apelam ao lado emocional para nos fazer gastar. Estabeleça como padrão de vida pensar antes de comprar. Faça-se a seguinte pergunta: Preciso realmente disto ou estou apenas querendo gastar? Gastar é hábito, muitas vezes nem precisamos do que foi comprado. Assista menos TV e leia mais livros. A TV lhe mostra produtos “maravilhosos” a todo o momento e faz parecer que só você não tem aquilo. Não cai nessa. Viva uma vida à vista. Só parcele itens indispensáveis. Você não precisa comprar parcelado nenhum destes itens: celular, livros, aparelhos de som, sapatos, calças, bolsas, viagens, presentes, etc. Crie o bom hábito de somente comprar um supérfluo quando tiver o dinheiro para compra-lo à vista.

Os 4 passos são bastante eficazes na busca de uma vida financeiramente equilibrada. E tenho certeza que estando equilibrado financeiramente você também perceberá melhorias físicas, afinal dormirá tranquilo e terá menos estresse.

Boa sorte!

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
10 Comentários

Adicionar comentário