23 de maio de 2019

Como economizar, viver bem, gastar por impulso e ser feliz!

equilibrio 150x150 Como economizar, viver bem, gastar por impulso e ser feliz!Palavra chave: Planejamento.

Se você é frequente por aqui já deve ter lido que defendo o investimento de pelo menos 10% dos rendimentos líquidos.

Também já leu da importância de se ter dinheiro poupado para emergências.

A ideia é a seguinte: economize 10% e invista o dinheiro. Tenha uma reserva para emergências de 6 vezes seus gastos mensais para quando surgir algo inesperado você não precisar mexer no dinheiro investido.

A regra é simples, mas de difícil prática.

A primeira parte do título do artigo já tá explicada então, vamos à segunda: Viva bem.

O conceito de viver bem é relativo e não quero discuti-lo aqui, pelo menos não hoje. Mas para mim, viver bem é equilibrar trabalho, família, estudos e vida social. Nunca perca o foco e mantenha em equilíbrio esses 4 aspectos da vida. Para equilibrá-los é necessário planejamento. A emoção nos engana, tome cuidado com tal sentimento. Planeje racionalmente o tempo a ser gasto em cada uma das atividades e não deixe se levar pela emoção ao executá-las. Se o planejado é um belo passeio com a família no final de semana, faça-o. Deixe o trabalho no escritório, desligue-se dele e não deixe o lado emocional te dominar, caso contrário, você não fará nem uma e nem outra coisa direito. Outro ponto importante é sua vida social, ninguém vive enclausurado, todos nós precisamos de amigos, sendo assim, faça amigos e conserve os velhos, isso faz bem a saúde. Estudar é preciso, o mercado de trabalho a cada ano está mais competitivo e parar é retroceder, atualizar-se é manter-se no jogo.

Agora falo dos gastos por impulso e começo confessando que adoro gastar. Consumir é ótimo e dá um prazer. Puts, mas gastar por impulso é uma traição ao movimento, teoricamente vai contra tudo o que venho escrevendo sobre finanças. Não, desde que seja planejado. Gasto por impulso planejado, mas que incoerência. Lembra-se da palavra chave? Planejamento. Faça assim: Planeja o quanto no mês você pode gastar por impulso e  deixe o valor separado. Deu vontade de gastar, gaste o dinheiro do “impulso”, gaste sem dó, sem pensar, por pura emoção. Só, que quando acabar; acabou. E se sobrar? Ótimo, ganhou mais crédito para o mês seguinte.

E o seja feliz? Isto é consequência. Você economizou, tem sua reserva de emergências, está em equilíbrio com trabalho, família, estudos e vida social e ainda pode gastar por impulso. Tenho certeza que você é feliz então.

Estou certo?

Grande abraço, boa semana!

Artigos Relacionados:

    None Found

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
7 Comentários

Adicionar comentário