25 de junho de 2019

Estamos caminhando para trás?

economia 150x150 Estamos caminhando para trás?Sou contra as medidas pontuais adotadas pelo governo como forma de estimular o crescimento econômico. Por que alguns setores são favorecidos com a desoneração de impostos e outros não? Sinceramente não entendo a lógica adotada. Um governo deve governar para todos e não para alguns.

Já escrevi aqui no blog por diversas vezes que precisamos de reformas gerais e não pontuais. Reduz IPI, aumenta IOF, compra dólar, leiloa dólar, desonera o INSS do empregador. Todas intervenções pontuais e sem resultados práticos sustentáveis.

Ainda temos as políticas protecionistas. Taxar o produto importado para estimular o consumo de produtos nacionais não é solução. Solução é desenvolver tecnologia de ponta, melhorar a estrutura do país para empresas terem uma logística mais efetiva e com menor custo, qualificar o trabalhador para ser criativo e capaz de inovar.

No Brasil quanto mais alguém colabora com o desenvolvimento do país gerando empregado, empreendendo, mais é punido com o exorbitante imposto cobrado. Quem nada faz é que mais lucra com bolsas assistencialistas.

Só para pensarmos: ao invés de o “bolsa família” estar associado à presença do aluno na escola não seria mais inteligente estar associado a boas notas? O aluno vai para escola porque o que importa para ele é a presença e quem sofre é o pobre do professor que tem que aguentar estudantes nada interessados e que só ficam atormentando a aula. Se ele tivesse que apresentar resultados a situação seria diferente.

O estimulo ao consumo para maquiar o PIB é vergonhoso. Estimular o consumo com uma população de analfabetos financeiros apenas gera inflação e inadimplência. Parece-me meio óbvio isto. Mas o PIB crescendo é o que importa, então deixa o povo se endividar.

Outra coisa que não concordo é com a visão desenvolvimentista que o governo deve induzir o crescimento econômico. Isto cabe ao setor privado, o governo deve apenas criar condições para fomentar o crescimento. Agora o governo forçando empresas de capital misto a reduzir juros como forma de forçar as privadas a caminharem no mesmo sentido é uma política retrograda. É assim que queremos provar ao mundo que somos um país sério?

Bom feriado!

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
12 Comentários

Adicionar comentário