25 de junho de 2019

Menos governo e um cidadão mais responsável

Olá gente, estou bastante ausente desse espaço, tem me faltado tempo. Neste segundo semestre estou bem atarefado e com menos tempo para produzir artigos.

O cenário econômico mudou pouco. Nos EUA os impasses de sempre:  uma ora é a indefinição do Fed (Banco Central Americano) em reduzir ou não a injeção de dólares na economia. Em outro é se devem bombardear ou não a Síria. Outra situação de conflito é no congresso e a velha briga entre os democratas do presidente Obama e a oposição republicana.

No Brasil nada muda. Marina Silva que não teve competência para nem mesmo fundar um partido se alia a Eduardo Campos e dizem ser oposição. Uma oposição que era governo até bem pouco tempo atrás. Paulinho da Força funda um novo partido.

O governo continua um desastre na condução da economia. Nosso ministro é fraco. Esta é a verdade. O Banco Central resolveu cumprir sua função básica: controlar a inflação, e vem subindo a Selic que já está em 9,50%. A presidente aprendeu na marra que o valor do juro é regulado pela poupança, por oferta e procura, e que baixar juro por decreto é um erro.

congresso nacional Menos governo e um cidadão mais responsável

Com isto a bolsa de valores continua no sobe e desce que temos visto nos últimos quatro anos. Sobe um pouquinho e desce outro pouco. As intervenções do nosso governo socialista afugenta qualquer investidor.

O governo insiste em distribuição de renda quando deveria pensar em condições para os menos capacitados serem capazes de criar renda. Distribuir renda não adianta, o país precisa criar condições para as pessoas produzir renda. Aqui o lucro é anátema. O capitalista é visto como inescrupuloso e egoísta quando deveria ser aplaudido. O lucro capitalista nada mais é que a remuneração do mercado por um produto ou serviço desejado por ele. Um governo nada produz, nada cria ou inova, ele apenas retira do capitalista para dar àqueles que não produziram;  é claro, depois de ele governante ter colocado grande parte no próprio bolso. O problema é que o capitalista já cansou de produzir e ser cada vez mais expropriado. Com essa lógica esdrúxula do governo o melhor é ficar sentado e nada produzir esperando que o Estado do bem-estar social distribua o necessário a todos os seus cidadãos.

É ridículo este pensando. Quem irá produzir riqueza se todos ficam esperando pela distribuição da riqueza produzida por outrem e compartilhada pelo Estado? O socialismo é tão brilhante que na Venezuela eles não são capazes de fabricar papel higiênico para limpar a bunda.

Os nossos problemas são os de sempre: falta de infraestrutura, impostos pornográficos, politicas do governo que mudam de direção a todo o momento.

Que precisamos de reforma todos nós sabemos, mas isto não vai acontecer enquanto cada cidadão não deixar de chorar para o governo e assumir as rédeas da própria vida. O Brasil precisa de menos governo. Um governo que se apequene cada vez mais transferindo a responsabilidade para o cidadão. Mas o que temos atualmente é exatamente o contrário; é mais governo, mais partidos salvadores da pátria que se apresentam como solução.

A única solução é através da criação de riqueza, e isto somente acontece com educação. Um trabalhador educado é mais produtivo. Ele inova, reduz custos e oferta ao mercado produtos e serviços de qualidade e a um menor preço. Portanto, ao invés de esperar do governo ou ir às ruas reivindicar, gaste seu precioso tempo estudando para depender cada vez menos dos outros e criar sua própria riqueza.

Abraço!


Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
2 Comentários

Adicionar comentário