25 de junho de 2019

O Brasil está entre os 4 melhores países do mundo

O Brasil perdeu de 3 x 0 para a Holanda a poucos minutos. Ficamos em 4º lugar na Copa do Mundo de Futebol organizada pela FIFA.

Nossos algozes foram dois países europeus, Alemanha, que nos tirou da final, e Holanda, que nos derrotou e conquistou a medalhe de bronze.

O ex-jogador e hoje comentarista da rede Globo Junior lembrou que ele na Copa do Mundo de Futebol de 1986 foi desclassificado nos pênaltis pela França, mas que tirando a primeira noite, as demais dormiu tranquilo por saber que fez um bom trabalho. Ele trouxe a público suas lembranças para afirmar que estes jogadores não poderiam dormir tranquilos.

Eu discordo completamente do Junior. Estou de férias e acompanhei atentamente esta Copa e não vi nada, absolutamente nada, que desabone a conduta de qualquer um dos jogadores. Perderam porque qualquer competição para ter um ganhador precisa haver perdedores. Nossos adversários jogam um melhor futebol que o do selecionado brasileiro. Simples assim.

O Brasil é 38º em um ranking de 40 países sobre educação. As provas são de matemática, ciência e leitura, também são considerados índices como taxas de alfabetização e aprovação escolar.

educacao O Brasil está entre os 4 melhores países do mundo

No índice de desenvolvimento humano (idh) ocupamos a posição de número 85, e estamos atrás de países como o Cazaquistão, o Irã e até mesmo Cuba.

Em saúde, segundo pesquisa realizada pela agência de notícias Bloomberg no ano passado em países com mais de 5 milhões de habitantes, 48 países ao total, ficamos em último lugar.

Se pensarmos em renda per capita o Brasil ocupa a posição de número 61 com renda de 11.310 dólares. A da Alemanha é 45.000 e a da Holanda 47.633.

No ranking de 2013 do Institui Brasileiro de Planejamento Tributário o Brasil possuía o pior retorno em serviços públicos ao cidadão quando comparado à carga tributária expropriada. Pagamos de tributos mais de 36% do PIB.

Como eu gostaria que o Brasil ocupasse a quarta colocação do mundo em educação, saúde, saneamento básico, infraestrutura e renda per capita.

Como eu gostaria que tivéssemos o mesmo amor por estas áreas fundamentalmente mais importante como temos pelo futebol.

Como eu gostaria que tivéssemos o mesmo empenho para avaliar governantes como avaliamos jogadores de futebol.

Tecnicamente falando não vejo nossos jogadores piores do que aqueles que jogaram nas seleções que nos derrotaram vexativamente. Mas enquanto time eles são muito piores.

Tecnicamente grande parte dos nossos políticos são bons, mas assim como na seleção brasileira de futebol o nosso problema é de gestão.

O futebol brasileiro e todo o Brasil padece do mesmo mal: politicagem e corrupção. É uma gestão amadora caracterizada pelo patrimonialismo e clientelismo.

Até pouco tempo atrás, apesar de amar o futebol e me entristecer com tudo isto, pouca importância eu dava à gestão da Fifa e da CBF. São instituições privadas. Mas do momento que nossos tributos passaram a financiar parte desta putaria toda eu tive que me indignar.

O governo gastou cerca de 30 bilhões com futebol em um Brasil que falta tudo: saúde, educação e infraestrutura.

Nossa presidente ainda afirma que a Copa foi um sucesso. De fato foi, futebolisticamente foi um sucesso, mas que legado ela deixará? Nem mesmo aumentará o nosso PIB. Não ganhamos nada com a Copa do Mundo.

O que fica é um legado de dinheiro desviado, promessas de infraestrutura que não foram cumpridas e alguns estádios que custaram milhões e milhões de reais que ficarão às traças depois de amanhã quando a Copa do Mundo acabar.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
2 Comentários

Adicionar comentário