Previdência Privada: PGBL e VGBL

março 16, 2011 | Finanças

1 Flares Twitter 0 Facebook 1 Google+ 0 Filament.io 1 Flares ×

dinheiro 150x150 Previdência Privada: PGBL e VGBLSemana passada um colega de trabalho veio me perguntar o que eu acho do PGBL, conversamos um bom tempo e pude lhe esclarecer algumas dúvidas.

Com isso percebi que eu nunca havia escrito um texto aqui no Efetividade falando sobre Previdência Privada. Então, hoje é o dia.

Quando pensamos em Previdência Privada existem dois planos: O VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) e o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre).  Considero ambos os planos interessantes para quem deseja investir hoje pensando na aposentadoria futura ou mesmo em garantir o pagamento da faculdade dos filhos. Mas, só o considero vantajoso para quem não quer saber de investimentos, para quem não se interessa em aprender nada sobre finanças, para aqueles que apenas desejam acumular ao longo dos anos e ter uma rentabilidade do dinheiro investido acima da inflação e da caderneta de poupança.

Para muitos leitores aqui do blog e que acompanham o que escrevo sobre finanças, sabem que existem investimentos melhores a serem feitos, mas exigem um maior conhecimento do investidor. Sendo assim, só vejo tanto o VGBL quanto o PGBL vantajoso para pessoas sem nenhum conhecimento ou interesse em finanças e investimentos.

Na verdade ao contratar um plano de Previdência Privada você estará pagando através da chamada taxa de carregamento e da taxa anual, ao administrador do fundo, para investir seu dinheiro. A vantagem é que existem diversos planos de forma a atender os múltiplos perfis existentes. Caso você queira, poderá realizar os mesmos investimentos sem intermediários, sendo você o administrador do seu próprio fundo.

A diferença entre o PGBL e o VGBL.

A grande vantagem do PGBL é a postergação do pagamento do imposto de renda. Isto porque você pode abater na declaração anual do IR até 12% do valor investido no PGBL. Aí está a grande primeira regra: só compensa você investir neste plano até 12% de sua renda bruta taxada pelo leão. O ruim dele é que o pagamento do IR é sobre o total acumulado e não somente sobre o lucro obtido, por isso que escrevi postergado, mais cedo ou mais tarde o governo vai levar a parte dele. O PGBL é compensador apenas para quem faz a declaração anual do IR no modelo completo.

No VGBL é cobrado imposto de renda apenas sobre o lucro e não é permitido restituir o IR investido no plano.

Vamos falar do imposto a pagar.

Ao contratar o plano você deve optar pela taxação regressiva ou progressiva do IR. Na taxação regressiva o valor a ser pago vai regredindo ao longo dos anos chegando a 10% após 10 anos. Já a tabela progressiva é a tradicional, e o valor do IR a pagar depende do valor a ser sacado.

tabela regressiva2 300x146 Previdência Privada: PGBL e VGBL

As taxas

A taxa de carregamento é cobrada sobre o valor investido. Pode ser 0% como pode ser 4% do valor. Tudo dependente do contrato assinado. Não aceite pagar mais que 1%.

Também existe a taxa administrativa. Esta é cobrada anualmente sobre o montante acumulado no plano. O valor também é acertado em contrato e costuma variar de 1% a 3%. Considero esta taxa um verdadeiro roubo, ela não deveria existir, afinal o cliente já pagou a taxa de carregamento.

Resgatando o dinheiro

Planos de Previdência possuem dois momentos: o da contribuição e o do resgate. O da contribuição é o período de anos que irei investir no plano visando o resgate futuro. O resgate pode acontecer de forma parcial ou total. No resgate total há incidência do IR conforme tabela regressiva ou progressiva definida na contratação do plano.

Em resgastes parciais, quando pela tabela progressiva, pode haver até mesmo isenção total de IR, conforme as regras para isenção de pagamento de IR, que hoje, é para valores de até R$ 1.499,00 mensais. No caso do PGBL pela tabela progressiva, o cliente poderá realmente ter ganhado o IR não pago na época, isto, quando resgatar mensalmente valores abaixo dos que pagam imposto.

Ainda o cliente poderá negociar outra forma de resgate com a instituição. Poderá resgatar um valor mensal até a morte, onde seus familiares não terão direito a possíveis saldos em caso de falecimento, mas também o cliente terá a renda garantida, mesmo após o montante acumulado ter acabado. Também ele pode contratar um valor específico a ser recebido durante um período também acordado. Poderá ainda ter a renda reversível ao cônjuge ou filhos em caso de morte. Neste caso, até mesmo durante o período de contribuição dependendo do plano contratado.

Riscos

Existe planos que o gestor investe apenas em renda fixa, com isso o risco é menor. Já em alguns planos o gestor pode investir até 49% do valor em renda variável, aumentando-se o risco. Tudo depende do plano contratado que deve ir ao encontro do perfil do cliente.

A rentabilidade não é garantida, podendo até mesmo ser negativa.

Conclusão

A Previdência Privada não compensa. Você é capaz de ter uma rentabilidade muito mais interessante administrando você mesmo seu dinheiro. Vejo a previdência para pessoas preguiçosas com as próprias finanças, que preferem deixar nas mãos de uma empresa seu futuro e independência financeira, quanto na verdade ela deve estar atentíssima à questão.

Os bancos, como administradores dos planos, tem grande interesse em vender PGBL e VGBL. Eles lucram, e muito, com esses planos.

Investir no Tesouro Direto é muito simples, mas como não é divulgado as pessoas preferem cair na ladainha do gerente do banco e assinar um contrato de Previdência Privada. O gerente do banco está certo, ele vende o produto dele. O errado é o cliente que compra, quando deveria pesquisar mais alternativas e investir por conta própria.

Eu investi em um VGBL durante dois anos. Foi quando comecei a pesquisar, estudar finanças, comprar livros e ler sites que realmente ensinam sobre o assunto. Fugi do plano, passei a investir de maneira própria, sendo eu mesmo o administrador do meu dinheiro. Isso foi em 2007 e de lá para cá, tenho aprendido cada vez mais e procurado transmitir o conhecimento e experiência que adquiri aqui no Efetividade.

Fazendo uma análise fria, concluo que o único plano que valeria a pena seria um PGBL com tabela progressiva, investindo somente os 12% de isenção do IR e resgatando no futuro valores que o colocariam na faixa de isenção do pagamento de IR.

Artigos Relacionados:

1 Flares Twitter 0 Facebook 1 Google+ 0 Filament.io 1 Flares ×

Receba novos artigos por e-mail (é grátis):

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação. No Twitter @efetiv

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
  • http://www.valoresreais.com Guilherme

    Magnífico texto, Jônatas!
     
    Bem didático, fácil de entender, e bastante instrutivo, próprio de quem domina o ofício do ensino! ;-)
    Realmente, os planos de previdência privada constituem uma porta de entrada para o mundo dos investimentos. É um primeiro passo. Quem se interessa e corre atrás de saber mais, logo vê que existem alternativas mais interessantes – embora alguns dos planos de prev. priv. possam ter sua atratividade também, desde que se saiba escolher fundos baratos.
     
    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  • http://investindo-todo-mes.blogspot.com/ http://investindo-todo-mes.blogspot.com/

    As informações aqui estão bem completas para quem ainda tem dúvida sobre investir na previdência , que foi o meu caso no ano passado no qual tomei a decisão de retirar o meu dinheiro da previdência e comprar titulos do tesouro e agora estou comprando fundos imobiliários.
    parabéns pelo post
    Abços
    ITM
     

  • http://financasforever.blogspot.com Evertonric

    Jônatas, menos mau que vc já começou o texto dizendo as verdade da previdencia privada. “só o considero vantajoso para quem não quer saber de investimentos”.
    Apesar dos pesares, no qual sou totalmente do contra sobres este tipo de “invesimento camuflado”. seu artigo esta ótimo, muito educativo. E o que interessa mesmo é a educações financeira já para toda população brasileira.
    Abraços.

  • Jônatas R. Silva

    Oi Guilherme,

    Minha preocupação ao escrever é ser o mais didático possível. Fico contente de estar tendo sucesso.

    Abraço!

  • Jônatas R. Silva

    Fala ITM,

    Sabia decisão. Previdência só é negócio em pouquíssimos casos.

    Abraço!

  • Jônatas R. Silva

    Olá Evertonric,

    Procurei ser objetivo e imparcial. Há pessoas que preferem pagar altas taxas a ter que pensar em investir. Particularmente acho isto uma burrada, mas tenho que respeitar, cada uma sabe onde o sapato aberta.

    Abraço!

  • Jônatas R. Silva

    PGBL/VGBL podem funcionar ainda como uma espécie de seguro de vida. Em caso de morte do titular, mesmo que ainda durante o período de contribuição, há contratos que protegem a família. Esta é uma vantagem que pode interessar.
    O post ficaria extenso demais, por isso não abordei tudo o que penso sobre o tema, mas, penso eu, que um plano de Previdência deve ser analisado caso-a-caso, porém, no geral, quase nunca é recomendável.
    Abraço!

  • Subsea

    Gostei muito do blog vc esta de parabéns sou um investidor iniciante me ajudou com umas duvidas, obrigado.

  • Jônatas R. Silva

    Oi Subsea,

    Obrigado pela visita e volte sempre.

    Abraço!

  • ELSON

    MEU AMIGO VOCê não entende nada de previdência .a grande sacada da previdencia é a tabua atuarial , onde voce pode optar por varios tipos de renda ( vitalicia , temporaria , por prazo certo , renda financeira , etc ) depende do seu perfil no momento de se aposentar , se esta casado , filhos , com saude e principalmente a txa de juros no momento , hoje a taxa de juros é 12% , mas daqui a 20, 30 anos com certeza ela estará perto de zero , com juros zero dinheiro aplicado em poupança , renda fixa , letras do tesouro renderão perto de 1% a.a , como é hoje no USA , Japao, etc . Além da tranquilidade que ela oforece , pois faça sol ou chuva você terá renda segura , sem depender de nehum fator economico e vai aproveitar a sua terceira idade com mais qualidade de vida e tranquilidade . 

  • Jônatas R. Silva

    Olá ELSON,

    Você leu o post ou somente a conclusão? Abordei todos estes casos. Continuo com a mesma opinião, planos de previdência só são vantajosos para os leigos. Você está equivocado em sua análise.

    Abraço!

  • Alexandre

    O que eu sinto falta nesses artigos é a demonstração concreta, com números, que é pior um pgbl que uma aplicação no tesouro direto, por exemplo. Isso levando em conta a restituição. Por isso continuo na dúvida. Se eu aplicar 18000 num pgbl pegarei 5000 de restituição no ano q vem. Esse valor (q pode ser aplicado) deveria ser somado aos rendimentos do pgbl. Continua sendo ruim? Gostaria de esclarecer essa dúvida. Parabéns pelo blog.

  • Jônatas R. Silva

    Oi Alexandre,
    Nos planos de previdência você paga taxas, já investindo no TD de forma direta você não tem intermediários. Você ganha, em média, 1,5% de rentabilidade.

    Eu, no seu lugar, investiria, pensando em Renda Fixa, no TD.

    Agora escrever um texto com número é complicado, o horizonte de tempo é muito longo.

    Abraço!

  • Leandro

    Meu gerente tenta me vender a todo custo um plano de VGBL, sendo o seu “grande” argumento o fato de neste não haver “come-cotas. Contudo, tenho também alguns investimento em tesouro direto e em CDB e, pelo que pude perceber, em tais tipos de investimento, salvo melhor juízo, também não há “come-cotas. Estou correto? Se estou e se não há “come-cotas” nestes dois outros tipos de investimentos, há alguma real vantagem nos planos de VGBL? Ressalto que, salvo melhor Juízo, o tesouro direto e o CDB que possuo (100% do CDI – cooperativa privada) pagam mais do que os planos de VGBL a que teria acesso (de um grande banco). Considerando não haver come-cotas nestes dois tipos de investimento, o único parâmetro para decidir se vale mais aplicar neles ou no VGBL, seria a remuneração de cada um? Há algum outro ponto que deva ser observado?

  • Jônatas R. Silva

    Olá Leandro,

    Está correto sim, não há come-cotas. Tanto o CDB como o Tesouro Direito são mais vantajosos. Há planos de previdência que funciona também como uma espécie de seguro, protegem a família em caso de morte do titular. Mas mesmo assim é preferível a contratação de um seguro de vida e não do VGBL.

    Abraço!

  • Regina

    Boa Tarde,
    Pelo o que entendi quando a aplicação é feita em PGBL, o contrato só termina com o falecimento do aplicador e os únicos beneficiários são os dependentes? Quer dizer do contrário se eu quiser sacar o total terei que pagar os 27,5%, isto dentro da tabela progressiva que é o meu caso ou ir fazendo saques mensais de R$ 1.500, para  não sofrer os descontos?
       

  • Eduardo Ferreira

    Prezado Jônatas,

    Possuo um plano Bradesco FIF-VGBL FIX desde 08/01/2009, pelo qual paguei um único valor então. Hoje já sei que não foi a melhor opção. Você julga melhor efetuar o resgate imediato, ou em um prazo razoavel com a finalidade de reinvestir em outra coisa? 

  • Jônatas R. Silva

    Oi Regina,

    O plano se encerra de acordo com o contrato. Pode haver renda vitalícia, por tempo determinado, revertida aos dependentes. Cada caso é um caso.
    Sacando o total pagará o valor máximo do IR sim, hoje, 27,5%.

    Abraço.

  • Jônatas R. Silva

    Olá Eduardo,

    Eu faria o resgate sim e investiria em Tesouro Direto. As taxas são baixas, basta procurara um corretora que não cobre custódia.

    Abraço.

  • Jason

    Prezado Jônatas.
    Realmente, ficou muito bom esse seu artigo sobre previdência privada.
    Fiquei, mesmo assim, com uma dúvida.
    Para assalariados que, efetivamente, pagam imposto de renda mesmo após o recolhimento na fonte, como tem sido o meu caso, talvez haja outro entendimento sobre fazer, ou não, investimentos em um PGBL.
    Ocorre que, se não aplicar determinado valor em PP, o Leão ficará com tal valor. Assim, pensei em efetuar um plano de PP onde aplicarei, anualmente, o valor aproximado do que tem sido pago ao Leão.
    Assim, após os 10 anos de contribuição, poderei ir retirando, mensalmente, esse valor que apliquei, sem incidencia de impostos. Ou seja, deixei de pagar o Leão para, 10 anos depois, reaver esses valores, 100% para meu uso.
    Esse entendimento confere com a realidade?
    Obrigado.

  • Jônatas R. Silva

    Olá Jason,

    Perfeito seu entendimento e raciocínio. É o único caso que digo que vale a penas investir em PP. E isto só no PGBL.
    Agora, muitos não conseguem ficar 10 anos sem resgatar, para alguém disciplinado será uma boa escolha.

    Abraço.

  • Pingback: Gerente de banco: lobo em pele de cordeiro. | Efetividade()

  • Azael de Almeida

    JONATAS
    Muito clara sua exposição e,realmente,sou meio preguiçoso em termos de investimento.Cono sacar o valor total sem pagar IR.? Tenho um PGBL para minha filha menor e não consigo gerenciá-lo por falta de acesso.Há portabilidade ,já que o Santander me bloqueia?Que tal eu não declará-la no meu IR ,fazer uma declaração no  formulario verde para ela e aguardar a restituição?Aí ,sim ,daria para mudar de investimento sem pagar os 15% ao Leão.Estou correto nesse raciocínio ou teria outra implicações????
    Grato

  • Jônatas R. Silva

    Olá Azael,

    Não é possível saque total sem pagamento de IR. Só é possível os saques parciais dentro dos limites de isenções. Você pode fazer portabilidade sim, procure a instituição para a qual deseja portar e eles lhes explicarão como proceder.
    Ela é menor? Não entendi seu raciocínio, mas adianto que não tem como fugir do leão.

    Abraço.

  • José Raimundo Andrade Moreira

    Parabéns pela iniciativa, Jônatas!
    Qual o tempo mínimo para resgate de VGBL? 60 dias ou 12 meses?
    Abraço.

  • Jônatas R. Silva

    Obrigado José Raimundo,
    Não há tempo mínimo, quanto mais longo o prazo, mais tempo rendendo e maiores rentabilidades. Isto em teoria. Mas você pode sair do plano a qualquer momento.

    Abraço.

  • Davi Lenz

    Parabéns pela clareza Jônatas, também sou da opinião de que previdência privada não é bom negócio, até hoje não vi um plano que me valesse a pena. Minha única dúvida ficou sobre a tributação no resgate do PGBL, ela é definitiva como o 13o salário? Ou seja, se eu aposentasse hoje e resgatasse todo mês R$1.499 eu não pagaria IR algum sobre esse montante? Ou teria que somar esse montante às minhas outras rendas e consequentemente pagar IR sobre ele?
    Abraços,
    Davi

  • Jônatas R. Silva

    Oi Davi Lenz,

    Teria que somar o valor as demais rendas. Seria tributado ao realizar a declaração anual do IR.

    Abraço.

  • Adriane Cruvinel2011

    Caro Jonatas, muito obrigada pelo seu texto, precisava de algo assim para definitivamente interromper a aplicação que estou fazendo para meus filhos em VGBL, só não sei como tirar. Gostaria de minimizar ao máximo esta cilada que o banco me empurrou há 3 anos. Há alguma forma melhor de sair que você possa me sugerir? Obrigada, Adriane

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Adriane,
    Como você fez um VGBL irá pagar IR sobre o lucro. Caso tenha optado pela tabela progressiva o imposto seguirá a tabela vigente. Já, caso sua opção tenha sido a tabela regressiva, o melhor é parar de fazer aportes e resgatar o dinheiro quando tiver tempo suficiente para pagar menos impostos.

    Abraço.

  • Waldir

    Jonatas, suas palavras são sábias e sinceras. Parabéns! Entretanto, cabe ressaltar que aplicando-se no VGBL, você pode designar alguém para herdar todo o valor aplicado sem a participação de outros herdeiros, coisa que não se consegue em nenhuma outra aplicação. Concorda?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Waldir, obrigado.
    Concordo contigo. Só acredito ser melhor fazer um seguro de vida quando pensamos em terceiros. Nunca calculei os custos, mas penso ser mais vantajoso.

    Obrigado pela participação.

    Abraço.

  • Arnaldo

    Jonatas, como tenho 65 anos a maior parte da minha aposentadoria fica na faixa de isenção do IR. Desta forma, fazendo um VGBL (com isenção da Taxa de Carregamento e baixa taxa de administração) e, optando pela tabela progressiva, o desconto de 15% de IR relativos aos meus saques, poderia ser ressarcido em virtude das deduções, que me colocariam na faixa de isenção, quando da Declaração de Ajuste Anual tornando-se, dessa forma, uma aplicação interessante. O meu raciocínio está correto ?
    Arnaldo

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Arnaldo,

    Só vejo como vantagem se no futuro você sacar valores na faixa de isenção do IR e se a taxa de administração cobrada não for maior que 1%. O correto seria analisar o tempo de permanência e os valores a serem aportados. Ai sim poderíamos comparar com outras modalidades de investimentos e fazer a escolha correta.

    Abraço.

  • http://pulse.yahoo.com/_LB3N53DQFTTXSDPVZ3JIIRMWOA Fernando

    Jônatas tenho interesse em investir no tesouro direto, ando lendo mas ainda tenho muitas dúvidas sobre as taxas administrativas e de custódia, se compensam mesmo esses investimentos. Você teria alguma bibliográfia de sites e livros para indicar, pensano no tesouro direto
    Obrigado

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Fernando,

    O livro: Títulos Públicos sem Segredos. http://www.submarino.com.br/produto/1/21498983/titulos+publicos+sem+segredos

    Também o economista Beto Veiga, vende em seu blog um e-book sobre o Tesouro Direto.
    http://www.betoveiga.com/log/

    Abraço.

  • Oaoliveira

    Jonatas, tenho 54 anos, nunca fiz uma aplicação a não ser em poupança me ajude, me de uma luz.
    Eu tenho R$ 80.000,00 para aplicar mais R$ 2.300,00 por mês para colocar nesta aplicação por um período de 10 anos, que é quando eu quero começar a fazer retiradas. O que você me aconselha, qual a aplicação ideal, Fundo de Renda Fixa ou Previdência?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá,

    Nem um, nem outro.
    Se a ideia é o mercado de ações, ao invés de um fundo, opte por um ETF. Custos mais baixos. O momento de entrada na bolsa é favorável. Aconselharia a buscar um profissional qualificado para lhe orientar. Não confie no gerente do banco.

    Agora se a ideia é Previdência faça você mesmo a sua através de aportes mensais no Tesouro Direto. A NTNB-P que vence em 2024 ainda paga bons retornos. O retorno será cada vez menor com o passar dos anos e estabilidade econômica brasileira.

    Talvez uma LCI da Caixa Econômica Federal seja outra boa alternativa.

    Existem opções melhores das duas listadas por você. Volto a aconselhar a busca de um profissional qualificado para lhe orientar. Busque alguém de sua confiança em sua cidade, converse cara-a-cara, tire todas as dúvidas e tenha a certeza de estar fazendo a escolha certa de acordo com seus objetivos.

    Abraço.

  • FernandaY

    Jônatas,

    Muito bom o texto. Entretanto fiquei com uma dúvida: a sua recomendação continuaria a ser TD, caso a empresa contribuísse com o mesmo valor investido que seu funcionário, até um teto de 11% do valor salarial(ficando então 22%)? Ou nesse caso, como ganho o dobro todo mês, a previdência privada valeria a pena?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Obrigado Fernanda,
    Sim, aí eu recomendaria investir o máximo possível, os 11%. Sempre que a empresa contribui junto com o funcionário a Previdência fica atrativa e compensadora.

    Abraço

  • Fabio

    Professor, boa tarde, gostei muito do sua colocação, agora eu tenho uma duvida que preciso tirar, eu quero investir meu dinheiro, estou pesquisando,
    Eu declaro IR renda 70 mil anual, faço a declaração no modo completo, porem quero fazer um plano de previdencia pgbl, porém desses 70 mil quero aplicar 50 mil na previdencia privada,minha duvida é a seguinte por fazer a declaração completa quero usufruir do plana pgbl, mas quero ivestir mais de 12% da minha renda isso é possivel ou eu deve contratar o vgbl, ou me indica outra coisa, estou pesquisando obrigado Fabio

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Fábio,
    Eu não investiria nada em Previdência, mas, como é seu desejo, invista em PGBL apenas 12% de sua renda tributável, o excedente escolha um VGBL ou um fundo DI que cobre taxas baixas ou ainda o Tesouro Direito.

    Abraço.

  • Vlimadefreitas

    Boa tarde,
    Jônatas muito bom seus comentário sobre previdência, muitas dúvidas esclarecidas.
    Você poderia me informar como funciona a taxa de execente financeiro no PP?

    Obrigada!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Vilma, obrigado.

    Cada caso é um caso, depende do contrato assinado.
    Em alguns não há cobrança, em outros somente se o cliente resgatar os valores antes de determinada data. Mas em geral o excedente é o valor adicional, aquele além da taxa de administração e carregamento, cobrada quando o gestor supera o desempenho mínimo acordado em contrato.
    Imagine que o contrato estabeleça a busca de uma rentabilidade de 7% ao ano e o gestor alcance 10%, alguns contratos podem ser firmados dizendo que o gestor leva parte desde excedente.
    Na verdade acho um verdadeiro roubo, ele já está sendo pago para buscar remuneração satisfatória para o dinheiro, caso consiga boa remuneração não faz nada além de sua obrigação.

    Abraço.

  • Jeffalberto

    Olá professor, bom dia!
    Excelente seu artigo, com certeza o mais esclarecedor que encontrei. Realmente o Sr. está de parabéns pelo conteúdo e pela forma simples e esclarecedora que escreve. No entanto ainda me restaram algumas dúvidas:
    1) Com relação à aplicação de até 12% da renda em um PGBL na tabela progressiva, no caso de quem possui outra renda e esta na faixa de 27,5%, não há isenção nehuma de IR, já que os resgates mensais da Previdência, mesmo dentro do limite de isenção (R$ 1.499), deverão ser somados às outras rendas e o imposto será cobrado em 27,5% na hora da declaração anual. Correto?
    2) Esses saques dentro do limite, para gozar de isenção, tem que ser feito somente no período de resgate (recebimento do beneficio mensal) ou pode ser feito ainda durante o período de contribuição? Existe um prazo minimo que ele tem que ficar aplicado para que tenha isenção?
    3) No mesmo caso do item 1 (12% da renda, PGBL), só que utilizando a tabela regressiva, o prazo de 10 anos para o imposto ficar em 10% é contado para cada aplicação individualmente ou da data em que foi feito o plano? Este imposto de 10% é o mesmo para quem saca tanto durante o periodo de contribuição quanto no periodo de resgate?
    Me desculpe pela extensão das perguntas.
    Muito obrigado pela atenção e ajuda.
    Um grande abraço,
    Jefferson

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Boa tarde Jefferson,

    Obrigado, fico contente que tenha gostado do texto.
    Vamos lá, tento esclarecer suas dúvidas:
    1) Sim correto. As fontes de renda são somadas, só há isenção se a soma ficar no limite de isenção estabelecido pelo governo.
    2) Somente no período de recebimento do benefício. Não existe prazo mínimo, ao contrato o plano você define por quanto tempo irá contribuir, ou seja, define a data de saída.
    3) A data é de cada aplicação individual. Quem saca o valor total, paga IR maior referente aos últimos depósitos.

    Abraço.

  • Jeffalberto

    Professor,
    Então o único plano que apresentaria vantagens para quem esta na faixa de 27,5% de IR seria o PGBL, tabela Regressiva, sacando o valor aplicado quando o mesmo completar 10 anos. Assim, deixa-se de pagar 27,5% para pagar 10%, obtendo uma ganho de 17,5% no IR. Correto? Neste caso, para pagar 10% o saque pode ser feito tanto durante o periodo de contribuição quanto no periodo de resgate?
    Para quem esta na faixa de 27,5% de IR o Sr. vê alguma vantagem na previdência?
    Mais uma vez agradeço a atenção e paciência.
    Um abraço,
    Jefferson

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Mais ou menos Jeffalberto, pois você pagará 10% sobre o valor total acumulado e não somente sobre o lucro como no VGBL.
    Não vejo vantagens na Previdência, o Tesouro Direto é mais vantajoso. Vejo vantagem na Previdência apenas como uma espécie de seguro de vida para os dependentes, existem planos que garantem sua família em caso de morte. Pensando por este lado pode ser vantagem.
    Você só deixa de pagar o IR investido no PGBL quando no futuro faz retiradas dentro do limite de isenção do IR.

    Em resumo, eu não recomendaria Previdência para ninguém. Recomendo aportes mensais programados no Tesouro Direto, numa NTNB-Principal.

    Abraço.

  • Cris Yasmin2010

    Boa noite.
    Jonatas me ajuda por favor. Tesouro direto seria uma alternativa melhor, certo? Ntn b Principal 2035 que é a longo prazo, vamos supor. Mas no caso quando vencer daqui 23 anos ainda estará longe de me aposentar, então o que fazer com o valor investido? E como fazer para ter controle mensal desse valor, ex: pelo INSS é recebido um valor X mensal(uma miséria eu sei), mas nesse tipo de investimento será o valor total. Outra dúvida: Compro um titulo por um valor x e quero fazer aportes nesse mesmo título todos os meses ou sempre que puder, esse valor de 0,2 % do valor total do titulo será o mesmo até o vencimento ou podera aumentar? Se hoje eu só possuo em torno de 300,00 reais pra fazer aportes mensais, poderá chegar o dia que não poderei mais fazer aportes, pois não vou dar conta mais? Grata.

  • Pingback: O melhor e o pior investimento de 2011. Diversifique sempre. | Efetividade()

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Cris,
    Certo, o Tesouro Direto seria boa alternativa. Ao vencer esta NTNB você passa a comprar outra semelhante, sempre são lançadas novas Notas. Você terá acesso a sua conta no TD e poderá visualizar seu extrato sempre que desejar. O valor de 0,2% é cobrado pelas corretoras, algumas cobram mais outras menos. A política da corretora pode sofrer alteração sim ao longo dos anos. Não há problema em parar os aportes, seu valor investido continua a ser rentabilizado.

    Abraço.

  • Cris Yasmin

    Obrigada

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    De nada Cris.

  • Renata

    OI! Eu tenho uma previdencia privada a 8 anos, hj eu tenho 35 anos. Vale a pena eu retirar um pouco desse dinheiro para dar de entrada na minha casa e financiar menos?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Renata,
    Depende: VGBL ou PGBL, tabela de tributação, taxas de administração e carregamento, CET do financiamento da casa?
    Fora que são coisas diferentes, enquanto a Previdência visa garantir uma aposentadoria futura a casa é moradia, são objetivos diferentes. Outros fatores ainda precisam ser levados em conta, como: estabilidade no emprego e número de dependentes hoje e futuros, os filhos e pais.

    Abraço.

  • Mamede

    Jonatas,
    Li o seu artigo e confesso que fiquei decepcionado.
    Trabalho no mercado financeiro ha muitos anos e regularmente tenho investido meu dinheiro em PGBL (ate os 12%). Voce nao conseguiu mostrar aos seus leitores a importancia dos juros compostos e o quanto voce pode economizar em uma operacao como essas.
    Infelizmente a industria como um todo e dominada por um bancos que cobram taxas abusivas mas voce esqueceu de mencionar aos seus leitores assets independentes e outras opcoes. Quando falar em bolsa e mencionar ETFs seria bom explicar a concentracao do bovespa na area de commodities. A previdencia complementar e sem duvida um excelente instrumento financeiro e a prova disso e o seu crescimento.
    A dominacao dos bancos torna a industria financeira em geral muito mal interpretada pela sociedade e gera absurdos como esse que voce mencionou que a previdencia nao vale a pena.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Mamede,
    O que os planos de PP fazem é investir nosso dinheiros em renda variável e renda fixa. O que defendo é que podemos (e devemos) fazer isto sem intermediários, assim evitando pagar taxas de administração e carregamento.
    Só vejo real vantagem em PP quando a empresa em que se trabalha colabora com uma parte do valor investido, e nos poucos outros que relatei no texto.
    O IBOV é composto por mais de 65 empresas, as mesmas que os fundos de PP investem. Grande parte dos fundos investe em Tesouro Direto, o que qualquer pessoa pode fazer sem intermediários.
    Vejo o crescimento da PP como fruto da falta de conhecimento financeiro da população, os grandes bancos a incentivam por ser extremamente vantajosa para eles.
    Mamede, sinceramente acredito que você esteja perdendo dinheiro. Gostaria de conhecer sua política de investimento e a forma que a realiza. Caso queira, mas não se sinta confortável para conversamos neste espaço, me mande um e-mail pessoal. Sinceramente gostaria de entender melhor seu ponto de vista.
    Abraço.

  • Marcel

    Jonatas,

    Gostaria de seu apoio para tirar umas duvidas
    1°) Pagando um PGBL com desconto em folha de pagamento, este valor é abatido da base do IRRF Salario assim como o valor descontado do INSS mensalmente ou este abatimento so é possível no momento da declaração anual caso o contribuinte no momento da declaração escolha a declaração completa?
    Veja se minhas contas estão corretas;
    EX1:Recebo em folha R$ 3227,00; abatendo os 11% do INSS (R$ 354,97) a base para o IRRF é R$ 2872,03.
    Com base na tabela temos; De 2.246,76 até 2.995,70 a alíquota é de 15% – Parcela a deduzir do imposto em R$ 280,94, em suma (2872,03*15%-280,94 = 149,87), estou correto?

    EX2: Ha meses que tenho horas extras, ou seja estou a R$ 123,67 de mudar da alíquota de 15% para 22,5% com algumas horas extras.
    Digamos que ao invés de 3227,00 tenha feito neste més 3380; descontando o INSS ( R$ 371,80) temos R$ 3008,20.
    Com base na tabela temos; De 2.995,71 até 3.743,19 a aliquota é e 22,5% – Parcela a deduzir do imposto em R$ 505,62, em suma (3008,20*22,5%-505,62 = 171,23).
    Diferença de 21,36 reais no IRRF, voce acharia vantagem que ao invés de pagar este imposto eu solicite em minha empresa um desconto de digamos 100 reais para o PGBL para nao correr o risco de ficar na faixa dos 22,5%? Isso se ocorrer o que eu imagino; (Salario bruto R$ 3380) – (contribuição INSS R$ 371,80 + contribuição PGBL R$ 100,00) 3380 – (371,80+100) =2908,20 logo 15% de IRRF

    2°) Em caso positivo na questão anterior, qualquer PGBL serviria para isso?
    obrigado

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Marcel,

    Só será abatido no momento da declaração anual de IR. Sim, seus cálculos estão corretos.
    Considerando seu salário normal, você poderá abater apenas R$ 233,80 do IR pago para investir no PGBL. Muito pouco, em minha opinião não compensa. Você pagará custos altos por uma vantagem baixa.
    Pense em investimentos visando à aposentadoria sem intermediários. Invista em Tesouro Direto e Fundo de índices (ETF).
    Só invista em PP quando sua empresa colabora com o plano ou/e você deseja proteção para sua família em casa de morte.
    Abraço.

  • Marcel

    Jônatas,

    Sua resposta foi de grande ajuda, já aplico no tesouro direto 70% e ações da Petrobras, Vale e Banco do Brasil 30%. Não tenho muito conhecimento sobre fundo de índices, indicaria algum? Sabe onde poderia obter melhores informações?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva
  • Eduardo

    Jonatas boa noite!

    Por favor, me auxilie. Tenho um VGBL há 2 anos e pouco, e, vendo sua matéria, resolvi resgatar esse dinheiro acumulado e investir em tesouro direto (ou até colocar na poupança, porque não?). A minha dúvida é a seguinte: Eu vou ter pagar algo no momento do resgate? Quanto? E o imposto de renda? Como funciona para este caso?

    Desde já agradeço!

    Abraços.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Eduardo,
    Você pagará o IR sobre o lucro. O IR cobrado será pela tabela progressiva, quanto maior o valor a resgatar maior a taxa da tributação.

    Abraço.

  • Eduardo

    Jonatas obrigado por responder! Só uma dúvida: O banco cobra esse IR no momento que eu faço o resgate, por meio de boleto, sei lá, ou só quando eu declaro imposto é que eu faço esse pagamento?

    Abraço

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Eduardo, o IR é automático no resgate.
    Abraço.

  • JORGE LUIZ

    EU COLOQUEI 10,000,00 NO VGBL, TIRO OU DEIXO LÁ,ESTOU COM MAIS 20,000.00, ONDE DEVO COLOCAR, POR FAVOR ME DÊ UMA LUZ PRA NÃO PERDE DINHEIRO?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Jorge, sem maiores detalhes fica difícil opinar.
    Caso opte por tirar, invista no Tesouro Direto, NTNB-Principal.

    Abraço.

  • Gabri_justo

    Olá professor, tenho uma Dúvida. Tambem sou Atuante da àrea, concordo que os produtos de Prevê, fazem parte do planejamento financeiro em “Gavetas” onde rentabilidade não é o principal objetivo, tornando matematicamente inviaveis. Participei de uma Prova para especialista em um importante Grupo e havia uma questão que me deixou bastante confuso. A questão perguntava sobre o que aconteceria com um produto de PGBL onde o Titular do contrato veio a Falecer, no entanto a questão não fornecia informações de caracteristia sobre o Formato do Contrato, de proteção familiar e posterios discrição quanto a renda por morte etc.

    Devo entender que uma vez que não exista indicadores de Beneficiarios o Recurso será perdido em caso de falecimento? ou Caso ocorra o Obito do titular já em “mesada”vitálicia, encerra-se o PGBL e a reserva é paga de acordo com os graus de parentescos estabelecidos na regulação do contrato?

    Sabemos que hoje importantes as Principais Cias, não vendem este produtos sem indicação de beneficiarios. Fiquei com esta duvida.

    Muito Obrigado Professor

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    E complicado falar sem saber do contrato estabelecido.
    Mas em caso de morte sem previsão em contrato de beneficiários, apenas o valor acumulado vai para os herdeiros diretos.
    Há casos em que o plano beneficia esposa/marido ou filhos até certa idade ou período de tempo. Nestes casos vale o que foi assinado.
    A questão foi mal elaborada, onde as informações fornecidas não dão base para uma resposta mais precisa.
    Abraço.

  • Willl-me

    jônatas tenho previdência vgbl a 1 ano e meio e vendo seus comentários já vi que estol perdendo dinheiro gostaria muito da sua ajuda contribuo pouco e gostaria de contribuir um pouco mais. Por iço comecei a procurar saber se e bom ou não … meu e-mail willl-me@hotmail.com…obrigado!!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Invista no Tesouro Direto, é o melhor investimento para pequenos aportes.

    Abraço.

  • Marcelo

    Prezado Jônatas,
    tenho, pelo menos, R$2.000,00 mensais para investir. Vou completar daqui a poucos dias 36 anos e só tenho 7 anos de contribuição para o INSS. Hoje consigo contribuir a quantia para o teto máximo, ou seja, R$430,00.
    Minha preocupação está na aposentadoria.
    Me foi oferecido um plano de previdência, administrado pela PETRUS, com uma taxa de carregamento de 4% e 0% de tx de administração e sem direito a saques pariciais (só pode integral).
    Até o momento, tinha me decidido pelo plano com a tabela progressiva. Contribuindo, aproximadamente, R$1.100,00, eu abateria, certinho, os tais 12% no I.R.P.F. ESTOU FAZENDO UM MAL NEGÓCIO????
    Na hora de resgatar o dinheiro do plano, sei que a taxa é I.R. é de 15%, sem contar o ajuste anual.
    Me parece que as NTN-B série principal (sem pagamento de cupons) poderia ser uma boa. Mas fico com medo do prazo. Comprar para 2035 (ano que pretendo me aposentar) não sei se seria muito arriscado.
    Pensei em por 1.000,00 em prevodência e 1.000,00 em NTN-B (só não sei de qual vencimento). É BOM NEGÓCIO???
    Me ajude, por gentileza.
    Um abç,
    MARCELO

  • Marcelo

    Prezado Jônatas,
    tenho, pelo menos, R$2.000,00 mensais para investir. Vou completar daqui a poucos dias 36 anos e só tenho 7 anos de contribuição para o INSS. Hoje consigo contribuir a quantia para o teto máximo, ou seja, R$430,00.
    Minha preocupação está na aposentadoria.
    Me foi oferecido um plano de previdência, administrado pela PETRUS, com uma taxa de carregamento de 4% e 0% de tx de administração e sem direito a saques pariciais (só pode integral).
    Até o momento, tinha me decidido pelo plano com a tabela progressiva. Contribuindo, aproximadamente, R$1.100,00, eu abateria, certinho, os tais 12% no I.R.P.F. ESTOU FAZENDO UM MAL NEGÓCIO????
    Na hora de resgatar o dinheiro do plano, sei que a taxa é I.R. é de 15%, sem contar o ajuste anual. Mas ao sacar o dinheiro não é cobrado nenhuma taxa de carregamento.
    Me parece que as NTN-B série principal (sem pagamento de cupons) poderia ser uma boa. Mas fico com medo do prazo. Comprar para 2035 (ano que pretendo me aposentar) não sei se seria muito arriscado.
    Pensei em por 1.000,00 em previdência e 1.000,00 em NTN-B (só não sei de qual vencimento). É BOM NEGÓCIO???
    Me ajude, por gentileza.
    Um abç,
    MARCELO

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Marcelo,
    4% de carregamento é um roubo, chame a polícia.
    Gosto da ideia da NTNB-Principal. Como você é jovem eu também optaria por investir em renda variável, ações.
    Diversifique entre os títulos públicos, algo como 50% em NTNB-P e 25% em LFT e LTN. Também compre títulos com prazos diversos, assim você dilui ainda mais o risco.
    Se pensar em ações, acredito ser os ETFs as melhores escolhas. Talvez 20% da sua disponibilidade mensal.

    Abraço.

  • ERICA

    CARO PROFESSOR GANHO 1 SAL MINIMO PORTANTO NAO DECLARO IMPOSTO E TODO MES SEPARO 100 REAIS E COLOCO NA POUPANCA. HOJE RECEBI UMA PROPOSTA PRA FAZER UM VGBL MENSAL DE 50 REAIS E FUI PESQUISAR MAIS A RESPEITO E ENCONTRANDO SEU SITE DESCOBRI NAO SER VANTAGEM POIS O PLANO COBRA 4,5% DE CARREGAMENTO AO MES E 3% DE TAXA ADMINISTRATIVA AO ANO . ACHEI UM ROUBO E PENSEI MELHJOR FICAR NA POUPANCA RENDE POUCO MAS NAO TEM NENHUM DESCONTO. POREM AO VER SEU COMENTARIO SOBRE O TESOURO DIRETO FIQUEI MUITO INTERESSADA E QUERO SABER EU POSSO APLICAR NELE PARTE DESTE DINHEIRO QUE RESERVO TODO MES ? SE AFIRMATIVO QUAL E O MELHOR PLANO QUE VC ME RECOMENDA E POR QUE? DESDE JA AGRADECO

  • Denise

    Boa noite Jonatas, tenho procurado me informar sobre como investir pouco dinheiro para ter um retorno em 12 ou 15 anos a titulo de aposentadoria, pois tenho 50 anos e meu marido 52, idade ja avançada e tardia para pensar nisso, mas temos que fazer algo agora, lendo seus artigos ja entendi que pelo nossa idade a Previdencia nao é um bom negocio, pois é o que estavmos querendo fazer, tentando correr atras do tempo perdido. Somos totalmente leigos no assunto, por isso me interessei muito por seuas artigos e explicações, mas te confesso que nao compreendo muita coisa, entao para ser direta, gostaria que me indicasse como posso aplicar mensalmente $ 200,00 de cada um de nos para conseguir daqui a uns 12 ou 15 anos termos algum valor mensal para sobrevivermos.
    Antecipadamente grata,
    Abs
    Denise

  • Marcelo

    OK,
    mas Prof. Jônatas, não é bem melhor se pagar 4% de cada depósito feito no plano de previdência ao invés de pagar as perversas taxas de administração? Afinal a taxa de administração dos fundos de previdência incidem sobre o patrimônio do poupador uma vez ao ano, ou seja, quanto mais tempo no plano, maior será o valor desconto para a tx de adm anual. Na hora do resgate eles não me cobram os tais 4%, que só é cobrado quando realizamos os depósitos no fundo.
    Ainda assim é um mal negócio???

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Érica, realmente, as taxas de carregamento e administração são absurdas.
    Você precisará de bastante disciplina para fazer seu dinheiro render. Como você mesma sinalizou pode investi-lo na Poupança ou no Tesouro. Pensando no longo prazo o Tesouro é boa escolha. Deixo dois textos para sua leitura:
    http://www.efetividade.blog.br/2011/12/15/titulos-publicos/
    http://www.efetividade.blog.br/2011/07/21/alocando-seus-ativos-em-varias-corretoras-e-pagando-as-menores-taxas-possiveis/

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Denise,
    Vocês não podem correr riscos, o prazo para captação é mediano e o valor mensal disponível não é muito. Com estas características o melhor investimento na minha visão é a NTNB Principal 150824, Tesouro Direto. Abra conta numa corretora que não cobre taxas, vá acumulando valores na poupança e faça 2 ou 3 compras de títulos ao ano.

    Recomendo a leitura deste texto:
    http://www.efetividade.blog.br/2011/07/21/alocando-seus-ativos-em-varias-corretoras-e-pagando-as-menores-taxas-possiveis/

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Neste aspecto sim Marcelo, mas 4% é muito, leia texto que escrevi recentemente sobre os custos nos investimentos: http://www.efetividade.blog.br/2012/01/23/a-importancia-de-se-buscar-baixo-custo-nos-investimentos/

    Os fundos de previdência não ganham em rentabilidade do Tesouro Direto. Prefira investir de forma direta ao invés de terceirizar. É claro que exigirá um pouco de estudo, mais leituras, mas penso eu que se tratando do nosso futuro o esforço vale a pena.

    Abraço.

  • Marcelo
  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Marcelo, não consegui ver o link, dá erro.

  • Marcelo

    Prezado Jônatas,
    vou tentar, outra vez, o link do Prev-Estat: https://www.petros.com.br/portal/server.pt?open=512&objID=407&&parentid=1&parentname=CommunityPage&mode=2&in_hi_userid=343417&cached=true
    Veja o que acha do investimento.
    Obrigado pela atenção.
    Marcelo

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    O acesso ao conteúdo se dá apenas com login no site Marcelo.
    Abraço.

  • Marcelo

    Mas é só digitar prev-estat em qualquer site de busca. Dentro dessa página tem o regulamento do fundo, simulação e outras informações.
    Agradeço se puder me ajudar.
    Um abç,
    Marcelo

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Marcelo,
    A rentabilidade média dos anos de 08/09/10 foi apenas 1,79% acima da SELIC. Se considerarmos os custos do plano ele já perdeu de um título que paga a SELIC do Tesouro Direto e um CDB que remunere 100% dela. Fora que alguns bancos pequenos e médios remuneram mais que 100% da SELIC.
    Em resumo, não compensa.

    Estou totalmente convencido que planos de PP só são compensadores quando a empresa colabora com uma porcentagem para o plano ou como uma espécie de seguro para a família.

    Abraço.

  • Marcelo

    Assim sendo, você considera que com uma sobre de R$ 2 mil a cada mês, o melhor é diversificar entre os títulos do Tesouro? Essa seria a melhor estratégia visando uma aposentadoria? Investir em CDB’S acho que só seria interessante se houvesse um capital guardado, pois aí sim as taxas poderiam ser melhores.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Marcelo,
    A partir de uns 15 mil já é possível conseguir melhores taxas em CDBs.
    Não sei seu horizonte de tempo, mas leve em consideração a diversificação entre outras classes de ativos: Ações e FII.

    Abraço.

  • Silvia

    Caro Jonatas,
    obrigada pelos comentários esclarecedores. Ia aplicar em VGBL sugerido pelo banco, mas desisti. Mas preciso de ajuda. Minha situacao: moro fora do Brasil, recebo 2500,00 reais desde set 2011 até set de 2016. Sou aplicadora conservadora. O que vc sugere: CDB pré fixado ou tesouro direto? liás o que é tesouro direto. Muito obrigada pela resposta
    Silvia

  • Hugo

    Bom dia tenho 100 mil reais em poupança, tenho uma plano de previdencia vgbl com bem pouco dinheiro somente para nao encerrar.
    A pergunta é como devo aplicar esse dinheiro? Devo colocar no previdencia privada para complementar minha aposentadoria (tenho 32 anos)? Devo diversificar minha carteira de investimentos? Um parte em poupança, outra em cdb, um pouco em ações e tesouro direto? Penso em tesouro direto, que possuem uma rentabilidade mto boa, no entanto são a longo prazo correto?
    Agradeço desde já…
    Hugo

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Silvia, recomendo você diversificar entre os diversos títulos do Tesouro Direto. Não sei por quanto tempo você pretende deixar os recursos investidos, mas sendo um período acima de 5 anos eu também procuraria diversificar em Bolsa.

    Para saber tudo sobre o Tesouro Direto recomendo a compilação de textos do Prof. Elisson presente em seu blog dele http://profelisson.com.br/2012/01/23/manual-do-tesouro-direto/

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Hugo,

    Você possui uma boa quantia e deve diversificar.
    VGBL eu não aconselho.
    Diversifique entre Tesouro Direto, LCI, ações e talvez Fundos Imobiliários.
    Procure ler sobre estas modalidades e quem sabe até mesmo contratar uma assessoria financeira para lhe aconselhar.

    Sobre o Tesouro Direto, leia a compilação de textos do Prof. Elisson: http://profelisson.com.br/2012/01/23/manual-do-tesouro-direto/

    Abraço.

  • Daniel Epiphanio

    Boa noite Jonatas,
    Gostaria de saber se voce conhece o mercado de FOREX, se tem alguma experiencia e qual a sua opiniao???

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Não conheço Daniel,
    Especular com moedas não é para mim.
    Se não me engano, o Zé, do Clube do Pai Rico, opera Forex.

    Abraço.

  • Leo

    Caro professor!
    adorei aqui o link a matéria.
    Gostaria de perguntar se estou fazendo certo. sou péssimo administrador infelizmente, mas vou mudar. Fiz um PGBL na tabela regressiva em que em 10 anos vou pagar somente os 10%. pergunto se isto é 10% de IR e somente isso ou se paga mais? fiz o brasilprev pgbl estilo.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Léo,
    No PGBL você IR sobre o total acumulado e não somente sobre o lucro como acontece no VGBL.
    Há taxas de administração e/ou carregamento, cada caso é um caso. PGBL só é aconselhável para quem faz a declaração de IR no modelo completo e pode abater até 12% na declaração. Mesmo assim em casos bem específicos. Em geral não aconselho planos de previdência.

    Abraço.

  • R_vaz

    ex: se eu contribuir 30 anos e esteja hoje encerrando o plano de PGBL regressivo.

    essa informaçao procede? Sobre as contribuições dos últimos 2 anos incidirá uma alíquota de 35%. Sobre as que estiverem entre os últimos 2 e 4 anos, de 30%. A alíquota de 10% incidiria sobre as contribuições dos primeiros 20 anos em que você esteve no plano.

    sinceramente não entendi… vc poderia explicar? pq meu pai tem um palno desses e esta com dúvidas….

    att
    Rose

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Rose,
    A alíquota do IR é realmente sobre o tempo que o dinheiro ficou investido no plano. Os últimos aportes terão maior taxação. Aportes acima de 10 anos pagam 10%.

    Abraço.

  • Lucianamcavalcante

    Olá

    Veja se pode me ajudar , estou meu irrf e contribui para o PGBL com o valor de 1645,00 anual (ou seja 12 parcelas de 137,00), a minha dúvida é se eu tenho que colocar na parte de pagamentos e doações este valor ou o valor acumulado que possuo no plano PGBL ( tem 11636,00). aguardo seu retorno que muito me ajudará .
    obrigada
    Luciana

  • Djalma Luz

    Muito blrilhante estas informações sobre PGBL e VGBL; realmente só ouvi os maiores interessados (Os bancos); felizmente estou com investimento ainda atingindo o limite dos 12% da minha renda bruta. Quanto aos resgates, oxalá possa fazê-los até o limite de escapar da mordida do leão.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Luciana,
    Você declara o valor dos aportes, ou seja, os R$ 1.645,00. O código é o 36.

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Obrigado Djalma,
    Os PP são opções interessantes quando a empresa colabora com uma parte dos aportes.

    Abraço.

  • Carlosenetto

    Eu resgatei 118.835,46 de um PGBL progressivo. Foi retido na fonte o ganho de capital (15%). Além do resgate, tive renda de R$118.883,97, com retenção na fonte de R$ 21.236,33.Agora, vou declarar no IRPF os valores resgatados mais meus rendimentos. Ocorre que, mesmo já tendo sido retido na fonte, o programa da receita indica que eu teria que pagar mais R$ 10mil de imposto sobre os valores resgatados, além de R$1mil sobre os demais rendimentos. Isso está certo? não seria bitributação sobre o PGBL resgatado?

  • http://www.fernandohrosa.com.br/ Fernando H Rosa

    Sim está correto sim. Porque a alíquota que incide é a completa, você vai ter que pagar 27,5% sobre o que exceder a última faixa, e no resgate do progressivo você paga somente 15% de imposto, tendo que ajustar o restante na declaração de imposto de renda do ano subseqüente. O regime que não têm tais ajustes é o regressivo, com imposto definitivo.

    Veja a tabela da receita para ganhos anuais: http://www.receita.fazenda.gov.br/aliquotas/TabProgressiva2012a2015.htm . Para ganhos acima de R$ 46.939,46, você deve aplicar 27,5% e abater R$ 8.687,45. Fazendo isso temos R$ 24.005,64 de imposto devido (assumindo declaração completa e sem nenhum abatimento.. improvável) você só pagou R$ 21.236,33, ou seja, ainda deve pagar R$ 2.769,31 de imposto. Como resgatou R$ 118,835,46, assumindo que este seja o valor líquido, seu resgate bruto foi de R$ 139.806,42, com IR de 15% de R$ 20.970,96. Isso faria sua renda bruta ter aumentado em 138,806,42 implicando em mais 27,5% de imposto sobre o teto, de R$ 38.171,65, menos os R$ 20.970,96 pagos, daria R$ 17,200,00 de saldo de imposto, mais o saldo restante de R$ 2769,31 = R$ 19969,00 de imposto a pagar.

    Como você está falando em 10 mil a pagar e não 19 mil, imagino que estes 9 mil sejam abatimentos da sua base de cálculo, ou que você opte por fazer a declaração simplificada (o que me parece mais provável, já que você fez um VGBL e não um PGBL).

    Supondo desconto simplificado, o valor a pagar cairia para cerca de R$ 6.969,00, então pode ter algum outro detalhe que não estou considerando… se quiser poste mais detalhes que posso rever o cálculo.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Carlos,
    Se no contrato do plano você optou pela tributação exclusiva, o valor deve ser declarado em “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva”. Caso contrário em “Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica”. Veja o comprovante recebido para certificar-se.
    É fundamental declarar os valores no campo correto.

    Abraço.

  • Carlosenetto

    é PGBL mesmo e o valor de R$ 118.835,46 era o bruto, do qual foi retido o imposto de R$ 17.852,32

  • jeni matiase

    Meu pai é idoso, recebe um salário mínimo de aposentadoria, aplicou R$190.000,00,( em VGBL) esse dinheiro é da venda de um pequeno sítio, gostaria de saber se ele terá que declarar imposto de renda, pois alguns contadores me disseram que sim e outro disse que não,pois o último me disse que valores abaixo de R$300.000,00 não é obrigado a declarar, por favor me ajude,obrigada!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Jeni,
    Se ele obteve ganho na venda da propriedade sim. A posse de bens em valores de até 300 mil não precisa ser declarada, mas pelo que entendi ouve a venda da propriedade, então precisa ser declarada.

    Abraço

  • beatris

    MAS O QUE QUER DIZER EXATAMENTE “RENDA VITALÍCIA? SERIA ENQUANTO VIVER? ENTÃO SE TIVER SALDO E O POUPADOR FALECER O BENEFICIÁRIO NÃO IRÁ RECEBER?

  • Terezacristinajunio

    gostaria de saber se posso comprar titulos do tesouro em nome de minha filha de oito anos; se posso com agir?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Exatamente, não irá receber.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Não pode, só maiores de idade Tereza.
    Abraço.

  • Daniel_Emile

    Parabens pelo Blog….. Tenho 42 anos e começei a pensar um plano de previdencia privada…Ainda não tenho certeza se realmente vale a pena ter um…e qual tipo de plano PGBL / VGBL ?…Ou tesouro direto? vc sugeriu plano PGBL tabela progressiva…. Sou autonomo , profissional liberal e sem dependentes e faço uma declaração de IR modo simplificado…Obrigado

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Obrigado Daniel,
    Não vejo a Previdência vantajosa para você. Tesouro Direto seria melhor opção.

    Abraço.

  • Ricardo

    Olá Prof.Jônatas,
    Obrigado por suas informações, foram de grande valia, até o momento foram as informações mais claras e úteis que encontrei na internet sobre essas questões, pode ser até que exista alguma outra em algum outro lugar, mas como as suas eu ainda não econtrei.

    Já li bastante os comentários, perguntas e respostas abaixo mas ainda assim gostaria de também expor meu caso e ouvir sua opinião.

    Tenho 41 anos, aproximadamente 15 de contribuição, acabei de ter uma filha, logo veio a preocupação com a aposentadoria como você deve imaginar, tanto eu quanto minha esposa podemos dispor de R$400,00 por mês (cerca de 20% da renda de cada um), qual sua opinião sobre nossa aplicação desse dinheiro?

    pelo que li PP não é interessante para nós, certo? poupança é uma boa alternativa? ou só o Tesouro Direto?

    Obrigado

    Ricardo

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Ricardo,
    Fiquei apenas na dúvida se 400,00 é o total ou o valor de cada um de vocês, assim totalizando 800,00/mês.
    Pensando em prazos acima de 2 anos ainda aconselho o Tesouro. Ele perdeu um pouco da atratividade com a baixa da SELIC, mas ainda é melhor opção que a Caderneta de Poupança.
    Eu gosto de ações, recomendaria você alocar uns 20%. ETFs são boas escolhas.

    Abraço.

  • Ricardo

    Desculpe Jônatas, realmente não ficou claro, temos 400,00 cada um totalizando mesmo 800,00, por isso até pensei em investir cada parte em algo diferente.

    mas confesso que ainda estou em dúvida, pelas simulações que tenho feito através do site do Tesouro, PP, aplicações, a diferença percentual é de aproximadamente 4% de desvantagem para Poupança, mas a praticidade aliada a comodidade de isenção de IR, sem taxa de carregamento, sem IOF, fora a parte burocrática, ah!, e fora a parte da corretora…, além do que na poupança posso utilizar o recurso no momento em que quiser e quanto eu quiser sem ter que pagar nada.

    sou obrigado a assumir, tenho um pouco de preguiça quando penso em tudo isso.

    o que li sobre ETF diz que para pouco investimento não compensa, na verdade gera mais perda que ganho, não sei se essa informação está correta, mas ao mesmo tempo fala que é uma ótima opção dada a diversificação da carteira.

    novamente vou pedir sua opinião colocando uma situação prática, temos 15.000,00 hoje em poupança, e hoje temos a diponibilidade de 400,00 cada para investirmos, pensando a médio – longo prazo, qual seu conselho? obs: não gostaria de zerar minha poupança.

    obrigado pela atenção e desculpe tantas perguntas e tanta ignorância a respeito.

    forte abraço

    Ricardo

  • Antonio

    prezados

  • Aclnobrega

    prezados
    transferi todo o saldo (135,000,00) de um plano do Itauprev para o BB como PGBL no ano passado e o demonstrativo do BB para o IRPF mostra que apliquei todo este valor, quando na verdade os paortes ao longo do ano foram bem menores. Para fins de IRPF declaro que valores?

  • Storchtatianenome

    Boa Noite!
    Estou fazendo imposto de renda e recebi do Bradesco as informações…tinhamos na poupança no ano passado R$ 100mil…veio aqui em casa o rapaz do Bradesco…fazer aplicações do dinheiro…falei que queria aplicar em CDB ou a prazo fixo….entao ele aplicou…recebi o extrato e vi que esta aplicado em VGBL e que 99500,00 porque 500,00 já foi comido pelas taxas…acho que fizemos péssimo negocio….onde declaro no imposto de renda? poderias me ajudar? Obrigada. Marcela

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Ricardo,
    4% é uma diferença absurda, é muita diferença e não pode ser descartada.
    Quanto aos ETFs, escolhendo uma corretora que cobre taxas baixas e lhe isente da custódia mensal, valores a partir de mil reais já são compensadores.
    Você poderia deixar uns 5 mil na poupança, investir no TD uns 7 mil e 3 mil no ETF PIBB ou BOVA.

    Abraço,

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Pelo que entendi você resgatou e fez um novo contrato. Para o BB seu aporte é o integral mesmo. Você deveria ter feito a portabilidade.

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Marcela,
    Realmente não fez bom negócio.
    O dinheiro estava na poupança, sendo assim é um rendimento isento e não tributável.

    Abraço.

  • Ricardo

    Ok Jônatas, obrigado pelas dicas e informações, repito o que já disse, você sempre mantem a clareza e a objetividade e isso eu vi pouco por aí…
    Abração.

  • Aclnobrega

    prezado jônatas
    fiz a portabilidade sim, mas o demonstrativo do BB diz que fiz uma aplicação no PGBL do valor total. como declarar isto no IR?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Abraço Ricardo.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Não sei responder. Eu declararia apenas os novos aportes. Desculpe, mas não tenho a resposta.
    Abraço.

  • http://www.facebook.com/people/Lilia-de-Jesus/100003681287696 Lilia de Jesus

    por favor mim esclareça mais um pouco,fiz um seguro itauvida mulher onde pagamento mensal do seguro e R$34,60 e o VGBL e R$24,82 comecei em agosto de 2010 só que reparei que o VGBL só mim cobraram em 2011 o mês de janeiro,fevereiro e março e só mim cobraram agora em abril de 2012 o valor do vgbl mais em nenhum momento deichou de cobrar o seguro mulher mim explique se e certo

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Lilia,
    Leia o contrato para saber dos detalhes do negócio e havendo dúvidas procure o banco.
    Abraço.

  • Daniel_Emile

    Resolvi investir no Tesouro Direto ao invés dos planos de previdência oferecidos pelos bancos pensando na a minha aposentadoria. Quais títulos seriam mais vantagosos , para regaste a longo prazo , mais de 10 anos e qual seria a contribuição mensal ? Obrigado

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Daniel,
    Pensando no longo prazo eu aconselho as NTNB- Principal.

    Abraço.

  • Rodriguesdasilva

    todos os bens devem ser declarados…
    nao precisa FAZER DECLARACAO quem tem bens abaixo de 300.000 e nao se enquadra em outros itens que o obriguem a declarar

  • JOSI

    BOA NOITE JÔNATAS!!! TENHO UM PLANO DE PREVIDENCIA PGBL HÁ MUITOS ANOS. NO ANO DE 2010 TINHA UM VALOR DE r$ 100.000,00 APLICADOS E DURANTE O ANO DE 2011 FIZ MAIS 100.000,00 DE APORTES. NO IRPF DE 2012 RECEBI O EXTRATO COM VALOR ACUMULADO DE 250.000,00. OCORRE QUE ESTES 50.000,00 SÃO RENTABILIDADE DO PLANO, MAS O BANCO NÃO ESPECIFICA. E ENTÃO MINHA VARIAÇÃO PATRIMONIAL FICOU ACIMA DE MEU RENDIMENTO. COMO FAÇO PARA DECLARAR ESTE PLANO? AGUARDO

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Josi,
    Você precisa optar pelo modelo completo para ter a isenção fiscal.
    O valor aportado deve ser declarado em “Pagamentos e Doações Efetuados”, o código é o 36. Já o saldo não é preciso declarar, o IR é abatido no resgate do plano.
    Abraço.

  • JOSI

    ÓTIMO JÔNATAS!!! MUITO OBRIGADA POR ME ESCLARECER!!! AGORA VOU CONTINUAR TIRANDO DÚVIDAS: ENTÃO NA PRÁTICA NO PLANO PGBL (ALÍQUOTA REGRESSIVA – QUE EU TENHO), VOU LANÇAS O VALOR DAS CONTRIBUIÇÕES, NO CASO R$ 100.000,00 EM MINHAS DESPESAS, JÁ O SALDO ACUMULADO (250.000,00) NÃO FIGURA COMO PATRIMÔNIO?? ESTÁ CORRETO MEU ENTENDIMENTO?

    HÁ ALGUNAS ANOS, QUANDO FIZ MEU PLANO, O BANCO INFORMOU QUE EU DEVERIA LANÇAS A CONTRIBUIÇÃO COMO DESPESA E O VALOR ACUMULADO COMO PATRIMÔNIO. NA FORMA COMO VOCÊ EXPLICOU, O VALOR ACUMULADO NÃO APARECERIA EM NENHUM LUGAR, VINDO À TONA SOMENTE QUANDO EU RESGATAR EM FORMA DE BENEFÍCIO – ASSIM COMO ACONTECE NO “INSS – PREVIDÊNCIA PÚBLICA”.

    ESTÁ CORRETO MEU ENTENDIMENTO?

    PARA CONCLUIR: DESDE QUE FIZ MEU PLANO, SEMPRE LANCEI O SALDO ACUMULADO NO MEU PATRIMÔNIO, POIS ASSIM ME INFORMARAM. SE O CORRETO É NÃO APARECER ESTE VALOR NO TEMPO DA CONTRIBUIÇÃO, O QUE FAÇO AGORA PARA ARRUMAR MINHA DECLARAÇÃO E RETIRAR ESTE VALOR QUE NÃO DEVIA ESTAR FIGURANDO NELA???

    MUITO OBRIGADA PELA SUA DISPONIBILIDADE E PACIÊNCIA NAS RESPOSTAS.

  • JOSI

    DESCULPA MINHA IGNORÂNCIA, MAS E NO CASO DO VGBL? DEVE SER DECLARADO COMO PATRIMÔNIO? OU NA PRÁTICA NENHUM PLANO DEVE APARECER NA DECLARAÇÃO SENHÃO COMO PAGAMENTO?
    ABRAÇO

  • JOSI

    DESCULPA MINHA IGNORÂNCIA, MAS E NO CASO DO VGBL? DEVE SER DECLARADO COMO PATRIMÔNIO? OU NA PRÁTICA NENHUM PLANO DEVE APARECER NA DECLARAÇÃO SENHÃO COMO PAGAMENTO?
    ABRAÇO

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Josi,
    Sim, seu entendimento está correto.

    O valor acumulado como patrimônio é declarado apenas no VGBL. No seu caso, PGBL, não é preciso declarar.

    Você ter declarado o saldo em anos anteriores não consiste um erro, somente uma informação desnecessária. Na declaração deste ano basta não colocar.

    Abraço,

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Josi,
    Como patrimônio, em “Bens e Direitos” no código 97.

    Abraço.

  • JOSI

    MUITO OBRIGADA JÔNATAS!!! BOA SEMANA PARA VC

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    De nada Josi, para ti também.

  • Wilson Cabral

    Bom dia Jônatas, até a metade de 2011 tive um plano de previdência privada corporativo e resolvi sacá-lo, pois saí da empresa. Reinvesti todo o valor em um CDB, na faixa dos 60 mil reais. Para o IR, declarei o saque em rendimentos tributáveis recebidos de pessoa jurídica e a entrada no CDB, declarei em Bens e Direitos. Porém, ainda estou pagando um alto imposto por isso. A movimentação está correta?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Wilson,
    Caso sua PP tenha sido pela tabela progressiva você declarou correto. Conste o IR retido na fonte.
    O CDB você declara em Bens e Direitos, código 45.

    Abraço.

  • Adriana Lima

    Bom dia Jônatas.
    Preciso de algumas orientações.
    Sou uma estudante de Ciências Contábeis e tenho ouvido falar em Previdência Privada.
    Portanto, gostaria de saber como faço para investir minha renda de modo a poder pensar numa aposentadoria mais tranquila.
    Minha renda é baixa, sou assalariada, mas acredito que exista algo que eu possa fazer para juntar dinheiro e fazê-loo render.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Adriana,
    Para a maioria das pessoas não recomendo PP. Ela só é vantagem em poucos casos específicos.

    Atualmente com a nova política de redução dos juros o melhor investimento para quem tem poucos recursos e capacidade de aporte é a boa e velha caderneta de poupança.

    Abraço

  • Wilson Cabral

    Olá Jônatas, obrigado pela resposta. Porém, a minha dúvida é se devo informar todo o valor resgatado ou somente os rendimentos do plano. Explico: se colocar todo o valor resgatado (saldo bruto), serei tributado duas vezes, uma quando fiz o saque e foi retido o imposto de renda, e novamente agora colocando todo o valor. Correto?
    Abrs.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Wilson,
    Você já foi tributado no resgaste, não precisa declarar o valor regatado, apenas o novo aporte em CDB.

    Abraço.

  • Williams

    Jônatas. Antes de tudo, parabéns pelo seu site, já me tirou muitas dúvidas. Eu sempre recomendo aos meus colegas. Seguinte: fiz um VGBL 3 anos atrás, contribuindo mensalmente. Nesse ano, entretanto, fiz alguns cálculos no cálculo do IRPF e percebi que em vez de usar o desconsto simplicado, o melhor seria optar peloo completo. Se a partir de agora eu começar a fazer a declaração completa, ainda vale a pena manter o VGBL ou seria melhor parar de contribuir para o VGBL e fazer um PGBL, para daqui 10 anos, sacar total do VGBL, já que escolhi tributação regressiva. Eu já invisto em Titulos publicos, Acoes, ETF(por indicação sua) e destino 10% dos meus investimentos para a Previdencia complementar.
    ps. eu sei que vc é meio contra esses planos, mas eu realmente me sinto seguro em garantir uma previdencia complementar.
    Outra coisa: títulos públicos estaduais/municipais são uma boa opção de investimentos assim como os federais?

  • Williams

    Só complementando. Tenho 10k nesse VGBL e pretendo utiliza-lo em forma de rendimentos mensais quando me aposentar, lá pelos 70 anos…

  • Wilson Cabral

    Correto Jônatas, mas devo informar o imposto retido na fonte referente ao resgate (plano PGBL), e o rendimento referente ao plano.
    Fazendo as contas, o imposto retido quando efetuei o saque foi de 15% (três anos de participação no plano), o que somado ao total de imposto que estão me cobrando agora, chega-se aos 25%. Essa “bitributação” não seria uma forma de punição por ter pago menos imposto quando do momento do resgate?
    Desculpe a insistência, mas não consigo entender pq pagarei um valor tão alto.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Williams,
    Raciocínio perfeito. Pare de aportar no VGBL e passe a investir num PGBL. Fazendo a declaração completa do IR o PGBL é melhor negócio.
    Quanto ao VGBL realmente o melhor é esperar o período de anos necessários para pagar a menor tributação.

    Sim, os títulos do Estado e do Município são seguros. Recomendo a compra.

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Williams,
    Realmente deixe o investimento parado, espere a tributação cair e aí saque o valor.

    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Wilson,
    Tente fazer o seguinte e veja se compensa:
    Declarar em Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica, o valor bruto resgatado e o imposto retido na fonte.

    Acredito que assim os valores a pagar serão menores.

    Abraço.

  • Fernando C

    Tenho um plano VGBL. É um plano empresaria e que faz os pagamentos / contribuições mensais, é a empresa que eu trabalho. Na verdade, é um benefício que a empresa oferta aos seus colaboradores como bonificação. Pergunto. Como declaro este VGBL no IR? Vou ser tributado sobre os rendimentos do VGBL ou sobre o total, rendimentos + contribuições?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Fernando,
    Em Bens e Direitos. O valor declarado é o valor da contribuição.

    Abraço.

  • Eduardo Garcia

    Professor, gostaria de sanar uma dúvida. Tenho um filho recém nascido e estou pensado em fazer um plano PGBL progressivo aplicando menos de 12% dos meus rendimentos. Na ocasião do resgate, caso o plano seja no nome do meu filho e ele não tenha rendimentos até então, eu poderia evitar o imposto fazendo uma declaração de ajuste para meu filho e restituindo inclusive os 15% que são retidos automaticamente? Caso afirmativo, supondo que eu faça isso quando ele tiver 16 anos, eu o tiraria da minha lista de dependentes no ano do resgate e depois poderia voltar a declará-lo como dependente no próximo ano? Abraços.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Eduardo,
    Em nome do seu filho você pode apenas fazer VGBL.

    Abraço.

  • Joselaine

    tenho um plano de previdencia e optei pelo regime regressivo em 2005, portanto há 7 anos
    sobre o valor existente naquela data, minha aliquota é de 20% hoje, correto?? continuei depositando mensalmente e fiz alguns aportes, inclusive neste ano de 2012 No final de 2012, entrarei em beneficio, sendo que eu optei por beneficio mensal vitalicio
    minha pergunta é a seguinte: quando eu for resgatar meu benefício, em forma de aposentadoria, renda vitalicia, como será feito o calculo para eu saber quanto efetivamente vou estar pagando de IR???
    receberei meu beneficio na forma PEPS ou será feita uma média??? Muito obrigada

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Joselaine,
    Correto, o IR cobrado é PEPS (primeiro a entrar primeiro a sair). Portanto o IR será de 20% para os primeiros aportes e podendo chegar até 35% referente aos mais recentes.
    A tributação é na fonte, os valores recebidos serão líquidos.

    Abraço.

  • Joselaine

    Bom Dia Jônatas!!!
    Desculpa, mas não entendi direito.
    No final do ano, quando começar a receber o valor, vou descontar na fonte 20% porque resgatarei do primeiro valor depositado ou pagarei alíquota maior por conta do aporte feito neste ano de 2012??
    Abraço

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Joselaine,
    Pagará 20% referente aos primeiros aportes.

    Abraço.

  • Eduardo Zanandrea

    Boa tarde. Ótimo artigo, apenas me tire uma dúvida. Na sua conclusão você coloca que o único plano que valeria a pena seria um PGBL com tabela progressiva, investindo somente os 12% de isenção do IR… concordo plenamente com a questão dos 12%, mas por que você coloca a tabela progressiva e não a regressiva? Abraços!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Eduardo,
    Pois com a tabela progressiva os 12% não tarifados pelo IR poderiam ser realmente ganhos e não apenas postergado se os saques mensais ficarem dentro do limite mensal de isenção.

    Abraço!

  • https://twitter.com/Danilo_Bastos Danilo Bastos

    Parabéns pelo Blog!

    Brilhante a conclusão desse artigo! Eu penso da mesma forma!

    Abraço!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Valeu Danilo, obrigado.
    Abraço.

  • Gilberto

    Como invisto no brasilprev entre ações e poupança,com a previsão de aposentadoria? É bom?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Não Gilberto, é ruim.
    Procure investir diretamente sem intermediários. Você terá menores custos e consequentemente maior rentabilidade.

    Abraço!

  • Antônio Marques da Silva

    Prezado Jônatas,

    Realmente esse negócio de PP é complicado. Agora com suas orientações fui verificar o negócio, e fiquei com uma dúvida. Tenho uma PP há 6 anos com prazo de contribuição de 15 anos. Verifiquei que a soma atual, sem correção, de minhas aplicações é de 23.079,66. Contudo, informaram-me que meu saldo atual é de 19.326,09 (15.258,12 de capital mais 4.067,97 de juros). Se eu sacá-lo pagarei 15% de IR sobre os rendimentos. Disseram que há uma taxa de carregamento mensal de 3% + uma taxa de administração anual de 3,4%. Nos últimos 12 meses o rendimento do meu fundo fixo foi de 7,36%, segundo o banco.
    Seria vantagem eu agora suspender as constribuições, resgatando o capital,
    e passar a aplicar em uma conta de poupança,mensalmente, o mesmo valor, também corrigindo-o pelo IGPM-FGV por mais 9 anos, para depois utilizar os juros da poupança como complemento de minha aposentadoria?
    Esse valor seria maior que o que o fundo me pagaria?
    Obrigado.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Olá Antônio,

    O ideal seria o resgate e investimento em título público através do tesouro direto. O gerente do banco apenas lhe apresentou outro produto comercializado pelo banco, é melhor que o PP, mas ainda não a melhor opção disponível no mercado.

    Recomendo a leitura:
    http://www.efetividade.blog.br/2012/09/20/como-funciona-a-renda-fixa/
    http://www.efetividade.blog.br/2011/11/14/tesouro-direto/
    http://www.efetividade.blog.br/2011/12/15/titulos-publicos/
    http://www.efetividade.blog.br/2011/08/22/cdb-e-titulo-publico-bom-comeco-para-o-pequeno-investidor/

    http://www.efetividade.blog.br/2012/04/23/renda-fixa-tesouro-direto-poupanca-fundos-di-no-que-investir/

    Abraço!

  • Léo

    Orientar-me.-Possuo aplicação BRASILPREV RT FIX II FI RENDA FIXA (VGBL-POSTECIPADA) e pretendo resgatá-lo após a carência de 60 dias. Pergunto: a taxa de carregamento (1%) será aplicada incidirá sobre o rendimento(pagamento de renda)? E, da data da solicitação do resgate até o efetivo crédito em Conta Corrente, quantos dias levará? Obrigado.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Léo,
    A taxa de carregamento é uma porcentagem do valor aplicado e não é reavido. É o custo da aplicação.

    Você irá resgatar o valor aplicado, menos os 1%, mais a rentabilidade (se houver), menos o IR.

    O tempo para crédito costuma ser de até 4 dias, pode ser menor.

    Abraço!

  • Léo

    Esclarecer-me: Na hipótese d´eu ter aplicado no BRASILPREV RT FIX II FI REANDA FIXA (VGB-PÓS) certa quantia de R$100mil em 1º/01/13, representando hoje uma rentabilidade (acumulada) de 0,7274%(Jan=0,42%+0,17% e de 1º até 14/03/13=+0,1333%), qual o valor bruto do resgate, caso venha a resgatá-lo nesta data (valor da Cota 4,9723)?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Léo,
    A conta não é simples assim.
    Depende dos custos do investimento (carregamento, administração, performance). É impossível realizar o cálculos sem estas informações. Ainda temos que levar em conta o IR, que por usa vez considera o tipo de tributação.
    Lhe aconselho a procurar um contador ou um especialista na área.

    Abraço!

  • Léo

    Caro Jônatas: Simplificando: as taxas brutas que me referí SÃO CUMULATIVAS E APLICADAS SOBRE O VALOR DE FACE DO INVESTIMENTO?- iSTO É, adotando como exemplo R$100mil x 0,7274%= R$100.727,40 (posteriormente deduzidos os ENCARGOS, EMOLUMENTOS, IR E OUTROS, dos quais resultará no rendimento líquido). Será êsse o critério de cálculo adotado?. Ou qual outro critério que seria adotado? – Grato

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Léo,
    O critério é este sim. Desde que este já seja o rendimento após os custos.

    Abraço!

  • http://www.facebook.com/flavinhaschayer Flávia Schayer

    Bom Dia
    Jônatas, preciso da sua ajuda. Estou organizando as minhas aplicações e já mudei algumas coisas. Meu perfil é conservador. Mudei o meu fundo DI para outro com tx de adm de 0,5% e a rentabilidade de março foi de 0,54% e no fundo antigo eu pagava tx de adm de 1% e em Março rendeu 0,49%. Retirei uma aplicação que era péssima e vou aplicar 50.000,00 em LCI no Sofisa.
    Não sei ainda se aplico por 6 meses o que me daria em uma LCI pré fixada R$ 51.821,82 (0,59%rentab. mensal)ou em um ano que me daria (R$ 53.800,00 com 0,61% rentab mensal). Fico em dúvida pela instabilidade do nosso país. O que vocêacha?
    Agora o que mais me preocupa, tenho um PGBL e um VGBL com txs altas e preciso de uma grande orientação do que fazer com estas aplicações. Apliquei no PGBL em Dezembro de 2013 com tabela regressiva e hoje tenho o montante de R$166.739,00 e no VBL (mesma data,2003) tenho R$16.673,00. Tem ano que uso os 12% do PGBL e outros não. Conversei no banco e eles me ofereceram um outro PGBL com txs um pouco melhores. A taxa de administração é de 1,20%a.a e a taxa de carregamento Entrada(Aporte+Saldo) Até 74.999,00 :2%, de
    R$75.000,00 até R$199.999 :1%,
    de R$200.000,00 a R$299.999,00: 0,5%
    e acima de R$300 mil é 0%.
    Pelo que leio ainda sim continua sendo um péssimo investimento.
    Mas e agora o que faço? Espero até o final deste ano que completa 10 anos de aplicação e saco todo o dinheiro? Vou retirando valores mensais que não pago imposto e vou colocando no fundo D.I? Se eu migrar para outro plano de PGBL com txs melhores a minha data de entrada continua sendo a mesma que foi Dez 2003 ou passa a ser a data da migração? Estou completamente perdida sem saber o que fazer. Como você falou para outro pessoa, a gerente do banco tenta me convencer que tenho que aplicar em Previdência. Conto com sua opinião. Um grande
    abraço, Flávia

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Bom dia Flávia,

    Parabéns pela mudança. Uma taxa de administração de 0,50%
    significa mais dinheiro no seu bolso.

    Eu aplicaria por 1 ano na LCI. 2014 é ano de eleição e não
    vejo mudanças drásticas no cenário econômico.

    Sim, tanto o VGBL como o PGBL estão com taxas altas. Pare de
    fazer novos aportes, espere dar 10 anos e saque todos os valores.

    Você mudando de plano um novo período se inicia.

    Com seu perfil conversador eu buscaria aplicar no Tesouro Direito. Melhor rentabilidade e menores taxas quando se escolhe bem a
    corretora.

    Agora Flávia você tem uma boa quantia aplicada, lhe aconselho fortemente a contratação de um profissional financeiro para lhe
    orientar e assim alinhar seus investimentos aos seus objetivos. É preferível pagar algumas horas de consultoria e investir corretamente do que correr o risco de ser ludibriada pelos gerentes de bancos.

    Abraço!

  • Flavio

    Alguém sabe me informar se para aplicar no PGBL e ter o abate no rendimento tributável, o declarante precisa contribuir com o INSS ?

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Não necessariamente.

  • Rafael Oliveira

    Admirável seu trabalho Jônatas, quem dera ser um de seus alunos! Sou extremamente leigo em investimentos.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Obrigado Rafael, ;-)

  • Luciano

    Para ter o incentivo fiscal você deve SIM contribuir para o INSS ou regime similar, me adimira um professor de finanças não saber isto ( o que fez a matéria)

  • Luciano

    Qualquer movimento de resgate neste momento não será rentável, caso queira mudar de investimento, tranque a previdência e faça o de sua escola.
    Previdência Privada é investimento de “longo” prazo.

  • Luciano

    Pô meu amigo Jônatas, vamos aos fatos :
    A tabela regressiva a longo prazo ( mais de 10 anos) sempre será mais rentável, você se beneficia de um incentivo fiscal de 27,5% depois de 10 ou 15 anos terá uma média de 18 a 20 % de IR retido na fonte, bem melhor que 27,5%.
    Estou na dúvida se realmente entende de previdência ou teve uma experiência ruim com o investimento e agora fala mau do mesmo.
    Abraço

  • Luciano

    Ola Jônatas.
    Lendo suas respostas e seu artigo fiquei na dúvida se realmente você entende a fundo a previdência privado ou passou por uma situação ruim com o investimento que lhe touxe certa “mágoa”.
    Algumas respostas suas estão totalmente equivocadas demonstrando que você não conhece tão a fundo o “produto” assim.
    Lembre-se cada pessoa tem um perfil de investidor e cada investimento tem suas regras, o que pode ser ruim para você pode servir para mim.
    Abraço.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Luciano, repare na pergunta do Flávio: “contribuir com o INSS”. Minha resposta: “Não necessariamente”. Um servidor público federal, RJU, tem direito ao abatimento e ele não contribui com o INSS.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Luciano,
    O IR é sobre o total e não sobre o lucro. Adicionando o custo agregado (carregamento e administração) continuo a afirmar que não vale o investimento.

    Abraço!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Oi Luciano,
    Previdência Privada quase sempre é furada. Obviamente é melhor do que não investir. Mas você paga para alguém investir para você sendo que pode ir diretamente a fonte.

    Quais respontas estão equivocadas?
    As que você comentou não estavam. Respondia a você nelas.

    Abraço!

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Luciano,
    Uma taxa de administração de 3,4% é sacanagem.
    Ele permanecendo no plano não consegue fugir dela.
    A pergunta do leitor é antiga, de dois anos atrás, acredito que ele já tomou a decisão. Mas você querendo defender PP é piada. Como escrevi é muito raro um plano ser compensador, só vejo vantagem quando a empresa realiza aportes proporcionais ao aportado pelo funcionário.

    Abraço!

  • Rosa

    Oi Jônatas.
    Tenho um Plano PGBL com tabela Regressiva há sete anos, desde que me aposentei. Foi feito pela empresa que eu trabalhava na época.
    Infelizmente hoje meu salário pelo INSS é uma “merreca”. Não sei como devo proceder em relação a esse plano. Cada vez que eu quiser retirar alguma quantia eu vou pagar Imposto de Renda de 15%.?
    Por favor, você pode me orientar, eu sou leiga no assunto.
    Um abraço e muito obrigada,

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Rosa,
    Teria que observar com detalhe o que diz seu plano.
    Mas o IR hoje, 7 anos, seria de 20% e não 15%.
    O valor das taxas de carregamento e administração também são fundamentais para a tomada de decisão.

    Lhe aconselho a procurar a própria instituição ou um consultar local para estudar seu caso com mais atenção.

    Abraço!

  • LAYRE

    OLÁ, RECEBI UM VALOR DE 650.000,00 DE HERANÇA, ENTRETANTO FUI ATÉ O BANCO BRADESCO E LÁ A GERENTE ABRIU UMA CONTA NOVA, PROMETENDO TUDO QUE PODE E QUE NÃO PODE, INCLUSIVE DISSE QUE ERA PARA EU APLICAR 350.000,00 NA PREVIDENCIA PRIVADA MAIS, NÃO FUI INFORMADO SOBRE OS RISCOS, SOBRE NENHUMA TAXA DE CARREGAMENTO, OU TAXA NA RETIRADA DO DINHEIRO, SE EU VOU TER QUE EFETUAR ALGUM PAGAMENTO MENSAL, SE É UM INVESTIMENTO SEGURO, SE TEM OUTRO TIPO DE INVESTIMENTO MELHOR, QUERIA QUE FIZESSE UM CONSÓRCIO, ENFIM ESTOU MUITO NERVOSO E APREENSIVO, ESTOU COM MEDO DE TER FEITO UMA ESCOLHA ERRADA. POR FAVOR ME AJUDE.

    ATENCIOSAMENTE,
    LAYRE MARIANO – 21 77009070

  • marina

    Ola Jonatas, envesti 120.000,00 na vida e previdencia do bradesco ,piano vgbl,a algum risco ,é bom o negocio ,tem lucros despesas,me oriente por favor ,e qual tempo para desistencia,

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas R. Silva

    Marina,
    Impossível uma avaliação sem conhecer seu perfil: idade, conhecimento financeiro, filhos, estabilidade no emprego…

    Mas quase nunca estes planos fechados apresentam vantagens. Minha recomendação é, em regra, o Tesouro Direto.

    Como o valor investido é alto, recomendo contratar um consultor independente para olhar seu caso com mais rigor.

    Abraço!

  • Esp

    Oi, Jônatas, levada por conselhos de gerente de banco ( que raiva, que dá de mim mesma por acreditar nessa gente) investi em um VGBL em 2012 , com taxa de administração de 2,5% a.a. e taxa de carregamento de 0,75% a.a., entrei com 149.500, depois aportei mais 54.000, era com base na inflação, na época rendia bem, aí em maio de 2013 ( deixei passar até tempo demais) o fundo só fechava negativo, migrei para outro de renda fixa com a mesma taxa de carregamento, só que com 1,3 de taxa de administração a.a. Desde então, estou nesse fundo, depois de muito reclamar com a gerente, ela me ofereceu um fundo com taxa de administração de 1,0% a.a. para entrar mês que vem. Hoje, tenho 283.188 nele , sem descontar o IR obviamente. Fazia aporte de R$500, mas estou pensando em parar e deixar esse dinheiro de um futuro aporte na poupança ou tentar migrá-lo para outro banco que não me cobre a taxa de carregamento sobre o aporte? A rentabilidade desse fundo no atual ano, para o qual gerente quer me transferir é 8,36, aproximadamente ( na verdade vai ser mais um pouquinho na casa dos centésimos, porque ainda não incluíram a última cotação de hoje), baseado em crédito privado, já a da poupança é 6,98 e para o outro banco que não tem taxa de carregamento é 8,28 com a mesma taxa de administração, mas é baseado em renda fixa. A gerente do meu banco disse que eu não posso parar de fazer aporte? Pode eles me impedirem isso? E ela continuou que o único jeito era eu continuar a fazer o aporte no valor mínimo de R$350? Onde q o banco pode impedir isso do cliente? Além de VGBL, minha tabela de tributação é progressiva/compensável.Bem o que estou pensando em fazer é parar de fazer aporte nesta PP, alocar em poupança o economizado nesse tempo ir estudando investimentos e depois de 10 anos sacar esse valor todo da previdência( tendo que ter o cuidado para pedir para mudar, perto dos 5 anos para mudar a forma de tributação para definitiva)e ir sacando aos poucos o valor, todo mês até o limite de 1.868,22 para não ser taxada no IR. Minha lógica está certa? Na verdade, o q eu queria fazer era usar esse dinheiro daqui a uns 2 anos para compra de um imóvel, mas, pelo visto, não vai ser uma decisão sensata sacar tudo de uma vez em virtude da facada do IR sobre os rendimentos. Sei que fui burra e tomei uma decisão não pensada em seguir tudo o q a gerente mandava, mas,atualmente, meu dinheiro está 84% emperrados no banco com alguma aplicação tributável ( o que inclui essa previdência aí), sei que tomarei uma facada do IR tb qdo sacar, mas na época me parecia rentável essa PP, só que eu não podia imaginar os tempos de hoje com a Dilma no poder e esses rendimentos pífios no banco ( ainda fiz a burrice de alocar tudo em um mesmo banco e q pelo q ando vendo o Itaú é o qtem as taxas mais abusivas do mercado e com menor rentabilidade). Dá vontade de me jogar do precipício agora diante de tamanha burrice…rs.

  • http://www.efetividade.blog.br Jônatas Rodrigues da Silva

    Esp,
    Sim, você pode parar de realizar aportes. Sua gerente está lhe ludibriando. E é a decisão correta, pois se você está no buraco a primeira coisa a fazer é parar de cavar.
    Sua lógica de saque dentro do limite de isenção do IR está correta.

    Eu recomendo você abrir conta em uma corretora e investir no tesouro direto. Se sua intenção é fazer uso do dinheiro em 10 anos compre NTNB-Principal com vencimento em 2024. Ela paga 6% mais IPCA. Terá melhor rendimento quando comparado a estes fundos caros.

    Abraço!

Flickr Digg Yahoo! Technorati MySpace Delicious RSS