25 de junho de 2019

Sua vida pós-aposentadoria

De forma geral o brasileiro não se prepara para a aposentadoria. O pós-trabalho é uma etapa da vida que deve ser planejada de maneira holística. É relativamente comum encontrar pessoas deprimidas por falta de atividade pouco tempo depois de se aposentarem.

Nossa educação formal nunca enfatizou a necessidade de pensar a vida pós-trabalho. Pois quando se para de trabalhar se passa a ter de 8h a 12h do dia livres. O que fazer? Como preencher este tempo?

No começo, talvez o primeiro ano, todos só pensam em descansar, em sair da rotina, em deixarem de ser dependentes do relógio. Com o passar dos meses um vazio, uma angústia por não ter o que fazer começa a tomar conta do recém-aposentado.

A importância do planejamento financeiro

Dinheiro é importante sim. E muito. Quando se aposentam a maioria dos brasileiros veem a renda diminuir consideravelmente. Muitos benefícios cessam. Benefícios estes que compunham as receitas mensais. O plano de saúde empresarial é cortado e se faz necessário adquirir um privado. O valor é alto, afinal se está velho e, portanto, se demanda mais cuidados. Os gastos com remédios também aumentam exponencialmente com a idade.

Este é um dos fatores porque tanto recomendamos um planejamento financeiro para a velhice. Já pensou na necessidade de precisar dos cuidados de um cuidador de idosos? Uma pessoa que lhe faça companhia e lhe acompanhe nos lugares: médico, supermercado, passeios.

idoso Sua vida pós aposentadoria

O cuidador pode ser simplesmente como companhia, um amigo. Mas também o idoso pode ser fisicamente dependente dele. Com a velhice o subir e descer escadas, o atravessar a rua e outras atividades banais da vida de qualquer pessoa se tornam áridas e um cuidador trás maior segurança ao idoso.

Alguns não conseguem mais dirigir e precisam de um cuidador que seja motorista.

Como estamos vivendo mais, estas são demandas do mundo contemporâneo. Uma realidade que deve ser pensada pelas pessoas. Você que é jovem hoje será um velho amanhã. A única forma de não ficar velho é morrendo. Solução não desejada eu acredito. Portanto, prepara-se para envelhecer enquanto você ainda é jovem.

Uma atividade para a aposentadoria

Como você pretende preencher seu tempo após parar de trabalhar? Quem se aposenta ainda jovem pode se tornar um cuidador de idosos. Alguém que pare de trabalhar aos 55 anos está fisicamente apto a cuidar de um idoso de 80 anos. É possível se aposentar e ainda ser útil servindo de companhia para um idoso e lhe ajudando em suas necessidades. E claro, continuar na ativa fazendo dinheiro.

Você também pode pensar em atividades onde o tempo disponibilizado para elas é menor. Ser um professor em tempo parcial. Um voluntário em uma ONG que realize um trabalho moralmente alinhado aos seus valores. Aconselhar pessoas, casais ou jovens como voluntário em uma igreja.

Prestar assessoria escolar.

Realizar pesquisa acadêmica.

Escrever um livro.

Editar um blog.

Fazer aula de dança de salão.

As atividades possíveis são diversas, mas devem ser pensadas. Elas precisam ir ao encontro do que lhe dá prazer. Afinal você é um aposentado e deve fazer somente aquilo que lhe deixa mais feliz.

A solidão

A solidão é um fantasma que assombra muita gente e os idosos são os mais acometidos. A sensação de inutilidade, o olhar no espelho e ver que se está velho é algo que incomoda a muitos. Outros lidam perfeitamente bem com o envelhecer, já alguns são suportam tal destino.

A solidão se torna companheira, muitas vezes, por um autoisolamento.

Os convites surgem e a frase comum é: estas coisas modernas não me interessam; isso é coisa de pessoa jovem. Criticas morais também são comuns: no meu tempo não era assim; que absurdo, esta juventude está perdida.

Estas atitudes afugentam as pessoas, afinal ninguém gosta de conviver com um pessimista moralista convicto.

Evite criticas ácidas e o relativismo moral. A convivência com quem pensa diferente de você faz parte da vida. É comum o mais velho afirmar que a esta altura da vida não precisa mais fazer média com ninguém. Precisa sim. Na vida sempre temos o momento de falar e de ficar quieto. Se este time não for compreendido, logo se está isolado e a solidão passa a ser a companhia.

A perda

Lidar com a morte de pessoas próximas e com perdas advindas da fragilidade do corpo é necessário. Muitos movimentos ficam prejudicados. A mente quer realizar, mas o corpo falha. Esta debilidade física deve ser respeitada para se evitar acidentes.  Já a morte de pessoas próximas deve ser encarada como o ciclo natural da vida

Inutilidade

Infelizmente nossa sociedade ainda não valoriza o saber dos idosos. Muitos são descartados. Suas opiniões não são respeitadas e a grande experiência de vida pouco considerada.

Precisamos mudar esta realidade. Não tenho a fórmula mágica, mas o tratar do tema já é um primeiro passo.

Você que é jovem entenda que se preparar para ficar velho é uma necessidade. Já você velho, encare o estar velho como uma dádiva, pois estar velho é estar vivo.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
3 Comentários

Adicionar comentário