27 de maio de 2018

10 dicas para organizar suas finanças pessoais

10 dicas para organizar suas financas pessoais 20171229161308.jpg e1524492220138 10 dicas para organizar suas finanças pessoais

Organizar as finanças pessoais é fundamental para sermos capazes de adequar o nosso modo de vida à renda, equilibrando o consumo com a poupança. Somente por meio dessa gestão é possível fazer escolhas conscientes e conquistar nossos sonhos.

Ainda assim, ter controle sobre a economia doméstica é uma das maiores dificuldades de indivíduos e famílias. Veja 10 dicas que selecionamento sobre o assunto e melhore a sua vida financeira:

1. Na ponta do lápis

A melhor forma de começar a entender quais são os seus ganhos e as suas despesas é colocando todo e qualquer valor no papel (ou em uma planilha de sistema online para controle financeiro).

Separe um tempo para levantar os gastos fixos, como prestação da casa ou do carro, transporte (passagens de ônibus ou gasolina + estacionamento), matrícula em cursos e escolas, plano de saúde, condomínio, luz e água, conta do celular, academia, internet, entre outros. Escreva também o seu ganho mensal, e se ele for variável, anote um valor médio de referência.

2. Controle de gastos

Depois de ter essa noção inicial crie o hábito de anotar diariamente todos os outros gastos, como compras no mercado, alimentação fora de casa, lazer (viagens, cinema, exposições, etc.) e consumo (roupas, eletrônicos, presentes, etc.).

Essas informações são essenciais para fazer um diagnóstico completo do seu padrão de vida. Com isso, além de avaliar onde o dinheiro foi empregado, você também saberá onde é possível cortar despesas para sair do vermelho, equilibrar o padrão de consumo e mesmo para poupar.

3. Regularize as dívidas, principalmente as com juros altos

Não cultive dívidas e estabeleça um planejamento para liquidá-las, começando por aquelas com maior taxa de juros. Em nenhuma circunstância crie novas dívidas para pagar as atuais ou para cobrir um padrão de vida insustentável. Ao contrário: reduza gastos e adapte o padrão de vida para zerar débitos atrasados.

4. Economize, economize e economize

Estabeleça um valor mínimo para poupar todo mês. Pode ser com porcentagens ou com valor fixo. E se achar a tarefa difícil, comece com cerca de 5% ou 10% do seu salário e projete um objetivo maior para daqui 1 ano, como por exemplo 35%. O importante é separar esse recurso e aplicá-lo na poupança ou em investimentos conservadores para não o gastar com besteiras.

5. Cuidado com o crédito

Atenção com crédito facilitado, cheque especial e aumento no limite do cartão. Tudo aquilo que consumir hoje para pagar depois irá comprometer a sua renda futura – e não se engane, uma hora a conta chega. Em alguns casos, os juros são realmente perigosos, portanto, estabeleça um teto máximo para o seu cartão de crédito e jamais ultrapasse-o.

6. Acompanhe os gastos

Além do controle mensal, hoje em dia diversas ferramentas permitem o acompanhamento diário da conta bancária, como aplicativos online, por exemplo, que auxiliam a ter maior controle sobre nossas despesas. Também é possível checar o extrato dos cartões pelo internet banking. Com tantas opções, não há desculpas para perder o controle e entrar no vermelho no meio do mês.

7. Compras planejadas

Faça uma lista do que precisa comprar. Não apenas no mercado, mas na farmácia, na papelaria, na sapataria e em outros estabelecimentos. Isso reduz as chances de cair em armadilhas e comprar por impulso.

8. Crie projetos de curto, médio e longo prazo

A melhor forma de planejar o uso do seu dinheiro é criando projetos de curto, médio e longo prazo. Pense nas suas necessidades imediatas, cuja demanda deve ser suprida nas próximas semanas. Depois, pense em termos de 1 ano, qual é o seu objetivo de consumo para esse período? Trocar o carro? Levar a família para uma viagem internacional? Reformar a casa? E nos próximos 5-10 anos? Com metas claras e objetivas, há mais probabilidade de empregar o seu dinheiro com eficiência.

9. Invista no futuro

Preocupar-se com a aposentadoria é algo que aparece com o passar dos anos, mas pensar na sua vida quando parar de trabalhar é algo para ser feito desde os primeiros anos de carreira. Você já recolhe INSS? A sua empresa oferece opções interessantes de aposentadoria privada? E o seu banco? Faça essas perguntas a si mesmo e comece a pensar lá na frente.

10. Estude educação financeira

Invista tempo e foco em aprender mais sobre finanças, economia doméstica, investimentos e softwares de gestão financeira. Seja na internet, em livros ou cursos específicos, em pouco tempo notará melhorias na sua vida.

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário