25 de junho de 2019

A cadeia de valor de Michael Porter.

Porter é professor de Harvard formado em Engenharia Mecânica e especialista em Estratégia Empresarial. Ele possui diversos livros sobre o tema e sua obra é leitura obrigatória em qualquer curso de Administração.

No texto de segunda-feira escrevi sobre o Sistema Toyota de Produção, minha visão sobre ele e o porquê de eu o considerá-lo utópico no Brasil. Leia o texto clicando aqui. Uma das formas de fazer o Sistema Toyota funcionar seria adotando a cadeia de valor de Porter. É claro que seria apenas mais uma técnica que ajudaria, mas somente uma empresa adotar tal técnica não traria grandes efeitos, se faz necessário toda uma cadeia produtiva fazer uso dela.

A cadeia de valor destaca as cinco atividades principais de qualquer empresa:

Logística interna: leva o material para dentro da empresa.

Operações: transforma a matéria prima em produto.

Logística externa: despacha os produtos acabados.

Marketing e vendas: comercializa o produto.

Serviços: assistência técnica e pós-venda.

cadeia valor2 300x142 A cadeia de valor de Michael Porter.

Quanto mais alinhadas estas atividades estiverem entre si, menor será o custo total de operações e maior a margem de lucro.

Só que isto exige pensamento coletivo, trabalho em equipe, visão estruturalista sistêmica; o que não temos. Nossa cultura é de que cada um deve fazer sua parte bem feita e passar o problema para o outro. Perceba que precisamos de uma nova mentalidade organizacional, de um paradigma que afirme que erros e acertos são holísticos e não setoriais e muito menos pessoais.

Porter ainda destaca o que ele chama de atividades de apoio: infraestrutura da empresa, gerenciamento de recursos humanos, desenvolvimento de tecnologia e aquisição.

As atividades de apoio dão suporte às atividades principais. Fica difícil se ter uma boa logística interna sem um bom gerente de compras ou uma operação eficiente sem tecnologia de ponta.

Uma cadeia de valor bem alinhada, onde todas as atividades principais trabalham como parceiros, e as atividades de apoio dão o suporte necessário, gera no final do processo uma VANTAGEM COMPETITIVA para a empresa em relação a seus concorrentes.

É fundamental para o sucesso que toda a cadeia produtiva tenha uma cadeia de valor alinhada. Só se consegue ter uma logística interna eficaz quando seu fornecedor cumpre prazos. Uma operação de qualidade dependerá de matéria-prima de qualidade. Para estas coisas acontecerem seus fornecedores também terão que gerenciar a cadeia de valores deles com efetividade e, por usa vez, os fornecedores dos seus fornecedores. A corrente é contínua, estamos totalmente envolvidos, o sucesso de uma organização depende do sucesso de toda a cadeia produtiva.

Quando uma empresa tem seu foco no mercado internacional às exigências são enormes e não basta ela ser eficiente, toda a cadeia produtiva precisa estar alinhada. O custo dos produtos aumenta e a qualidade fica comprometida caso a cadeia produtiva não esteja alinhada. As empresas devem ser parceiras, a preocupação é coletiva e o sucesso de uma organização depende de diversos fatores e, infelizmente, algum deles não depende somente dela.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
5 Comentários

Adicionar comentário