20 de junho de 2019

As lojas morreram?

arroba 150x150 As lojas morreram?Uma pergunta que venho me fazendo faz tempo é se as lojas físicas tomaram um tiro, já morrem e estão numa queda lenda, mas certa e irreversível.

Esta semana pude me aproximar ainda mais da resposta. E já estou quase pronto para dizer com todo o folego: SIM, ELAS MORRERAM.

Produtos eletroeletrônicos são mais baratos em lojas virtuais do que em lojas físicas. As lojas tradicionais já não conseguem mais competir com as vendas pela Internet. Comprei um micro-ondas na última segunda-feira e claro, pesquisei antes de decidir em qual loja comprar. Na Internet o preço à vista mais em conta que encontrei foi R$ 236,55. Este foi o preço que paguei. Frete grátis.

Também fui ao centro comercial da cidade pesquisar preços. Encontrei o mesmo aparelho nas lojas Pernambucanas por R$ 300,00. Preço à vista. No Magazine Luiza o valor era R$ 290,00. A própria vendedora da loja me falou que é impossível eles competirem com os preços praticados nas lojas online. Em uma terceira loja, Colombo, o preço era ainda mais caro, R$ 355,00.

A competição é desleal.

Lojas online não precisam ficar em pontos estratégicos e consequentemente caros. Basta construir um site bonito e prático e ter uma boa logística para distribuir com eficiência seus produtos. Lojas online gastam menos com manutenção predial, produtos de limpeza, pessoal da faxina e demais serviços indispensáveis numa loja fisicamente instalada. Lojas virtuais vendem para clientes em qualquer lugar do Brasil e até mesmo do mundo, já as lojas não virtuais estão limitadas aos potenciais clientes da cidade e região.

Na minha busca pelo micro-ondas no centro comercial eu tive que aguentar um sol de 30 graus na cabeça, tive que camelar pelas ruas sujas e cheia de gente querendo me entregar panfletos nas mãos, a grande maioria deles oferendo empréstimos com juros “ótimos” e também tive que pagar para estacionar meu carro depois de enfrentar um trânsito que fluia em ritmo de tartaruga.

Já pela Internet pesquisei facilmente e rapidamente o preço do produto desejado em dezenas de lojas. Logo conclui onde era mais em conta e efetuei a compra. Iria pagar com o cartão de crédito, mas como pagando com boleto bancário eu ainda tinha 5% de desconto, esta foi minha opção.

No Internet Banking gastei não mais que 5 minutos para pagar a conta. No dia seguinte recebi da loja a confirmação do pagamento e agora a pouco a confirmação que o produto já foi despachado para minha casa.

É claro que estou no Sudeste do Brasil e aqui encontramos um país um pouco mais avançado tecnologicamente, onde o acesso a um computador é realidade para a grande maioria. Mas, creio eu, conforme o país como um todo vai se modernizando, ficará cada vez mais complicada a sobrevivência de lojas físicas, pelo menos as que vendem eletroeletrônicos.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
8 Comentários

Adicionar comentário