17 de fevereiro de 2019

Clichês que impedem que você evolua financeiramente

Viver somente o momento sem se preocupar com o futuro pode ser uma das melhores decisões visando a satisfação momentânea, mas talvez não seja tão prudente a longo prazo. Você pensa em sua aposentadoria? A menos que ocorra um imprevisto o qual ninguém está livre (doenças, acidentes, etc), chegaremos tranquilamente a terceira idade. Para as pessoas que pensam somente em viver o presente, isto pode representar um grande problema: quem não se organiza desde cedo para criar uma reserva financeira para a aposentadoria, por exemplo, pode ser obrigado a encarar uma renda menor nessa fase da vida.

evolucao financeira Clichês que impedem que você evolua financeiramente

Engana-se quem pensa que é preciso colocar o dinheiro como a maior prioridade na vida ou deixar de buscar objetivos que tragam satisfação. A questão é não deixar que essas recomendações atrapalhem o orçamento financeiro e acabem por atrair apenas estresse e frustração.

Separamos abaixo os principais clichês que podem ter impacto sobre as nossas finanças pessoais e como impedir seus efeitos negativos:

- Viva somente o hoje; não pense no amanhã.

Deixar o futuro totalmente de lado para viver o presente, seguindo a famosa frase em latim “Carpe Diem” pode incentivar compras por impulso que prejudicam o orçamento. Outro fator a ser considerado é que devemos sempre nos preocupar com eventos esporádicos que acontecem em nossas vidas.

Pense nas seguintes situações: Se eu perder o emprego, como arcarei com minhas dívidas? E se acontecer algo com meu automóvel? Caso algum familiar tenha problemas de saúde? São muitas variáveis que podem aparecer em nosso dia a dia. A formação de uma reserva financeira é imprescindível para poder lidar com estes imprevistos.

- Dinheiro não compra felicidade

Se levada até as últimas consequências, esta afirmação pode ser perigosa. Mesmo porque, alguém com uma série de problemas financeiros dificilmente ficará livre de sentimentos negativos, como estresse e angústia.

Dinheiro a mais na sua conta não compra necessariamente felicidade e com toda a certeza existem pessoas com excelente condição financeira e extremamente infelizes, porém, devemos ter em mente que o dinheiro deve ser visto como uma solução, jamais como um problema. Com ele, podemos usufruir alguns benefícios que contribuem diretamente para o pleno sentimento de realização e felicidade, como por exemplo o conforto, a segurança e a educação.

- Sua personalidade nunca vai mudar

Dificuldades em matemática ou ser descontrolado por natureza não devem ser desculpas usadas para afirmar que nunca será possível lidar bem com dinheiro. Aprender a se relacionar melhor com as finanças depende da mudança de hábitos e, principalmente, do esforço e disciplina aplicados no orçamento doméstico e no estudo de conteúdos relacionados ao tema.

- Nunca sofra por antecipação

Viver somente focado e preocupado com o futuro não é uma atitude saudável. Por outro lado também não é recomendável nunca se preocupar com o amanhã ou não se antecipar a imprevistos. Devemos viver nosso presente com um olho no amanhã. As grandes dicas aqui são as formações de reservas financeiras focadas em: 1) gastos eventuais, para evitar surpresas desagradáveis; e 2) para a aposentadoria, visando manter o mesmo padrão de vida no momento em que não tivermos mais condições para desempenhar as tarefas com toda a energia de hoje. Outra dica é revisar o orçamento doméstico de tempos em tempos com o objetivo de maximizar as receitas e otimizar ao máximo o fluxo de caixa familiar.

Sobre ao autor:

Jonatam César Gebing

www.pobrepoupador.com

jgebing@pobrepoupador.com

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário