16 de dezembro de 2017

Como demitir um funcionário

A demissão de um funcionário, não importa por qual motivo, nunca é fácil. Sempre é difícil, tensa e triste. Já tive que demitir funcionários algumas vezes e posso dizer que aprendi.

Existem basicamente quatro motivos que levam uma organização a dispensar um funcionário: corte de despesas e reestruturação organizacional, o que os administradores costumam chamar de downsizing; por valores do funcionário desalinhados aos valores organizacionais (aqui o erro aconteceu na contratação que não percebeu isso); por falta de competência técnica ou interpessoal ou por falta de comprometimento. Às vezes por mais de um deles somados.

Como falei escrevi acima, demitir sempre é difícil. Mas listei os 4 motivos por ordem de dificuldade na ação de demitir.

A primeira vez que demite alguém foi numa sexta-feira, grande erro. Provavelmente acabei com o final de semana do ex-funcionário e confesso que com o meu também. Fiquei mal.

Ao demitir escolha o período da manhã, de preferência logo no início do expediente, e os primeiros dias da semana. Não deixe para sexta-feira.

Seja rápido e direto, não enrole. Comece logo a conversa dizendo o que tem que ser dito. Diga, dê alguns segundos para o funcionário assimilar o que foi dito, explique os motivos da demissão, pergunte se ele tem perguntas a fazer, responda as perguntas e ponto final, acabou a conversa. O processo todo leva apenas 5, 10 minutos no máximo.

As reações são diversas: alguns choram, alguns agradecem, alguns ficam mudos, alguns xingam ou lhe ameaçam, em resumo, tudo pode acontecer.

demissao funcionario Como demitir um funcionário

Não discuta a situação, você está ali para demitir e não para debater. Saia da sala e diga que o ex-funcionário poderá ficar ali o tempo necessário para se recompor e que em seguida deve pegar seus objetivos pessoais, se despedir de colegas, se assim desejar, e passar no RH, seja no mesmo dia ou no dia seguinte se preferir.

Ao explicar os motivos da demissão, caso seja por incompetência técnica ou falta de comprometimento, deixe isso bem claro ao ex-funcionário. Tentar tornar este momento menos doloroso em nada o ajudará. Este será um bom momento para ele refletir o que precisa mudar em suas atitudes e no que precisa se aperfeiçoar para manter sua empregabilidade em alta. Caso o motivo seja o downsizing ou valores desalinhados com a organização, se prontifique a redigir uma carta de recomendação.

O ideal é que o funcionário a ser demitido não seja pego de total surpresa. Reuniões avaliando o seu fraco desempenho ou falta de compromisso organizacional devem ocorrer meses antes da demissão numa tentativa de se evitá-la.

Demitir alguém é o último dos últimos recursos.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
115 Comentários

Adicionar comentário