23 de maio de 2019

Como evitar os erros mais comuns na hora de investir?

como evitar os erros mais comuns na hora de investir e1551304721162 Como evitar os erros mais comuns na hora de investir?

Fazer investimentos é sempre uma ótima forma de valorizar o que é seu. Por outro lado, deve-se estar atento aos erros mais comuns na hora de investir – e que são comuns para quem está iniciando e até para investidores com alguma bagagem. Assim, evitam-se prejuízos e é possível obter uma boa valorização do patrimônio.

Para que tudo saia de forma natural e certeira, é preciso ter paciência, estudar e ter foco. Com cada vez mais investimentos e consequentemente publicidade sobre o assunto, pode-se agir pela emoção e, assim, não apenas ter menor rentabilidade como arcar com um incômodo prejuízo. Veja, abaixo, como evitar os erros mais comuns na hora de investir.

Planejamento é tudo

O maior equívoco dos investidores é não ter um planejamento. Saber o objetivo do investimento, qual o valor disponível e entender mais sobre o título que irá aportar impede que surpresas desagradáveis possam aparecer. E a tecnologia pode te ajudar: sistemas de controle financeiro fazem isso de maneira automatizada e integrada.

Não dê um passo maior que a perna

O exemplo mais claro de quem pretende dar um passo maior que a perna é investir na renda variável. As ações, por exemplo iludem muitas pessoas por serem, estritamente, as melhores rentabilidades no mercado financeiro. Mas, sem estudo e compreensão da sua dinâmica, desvalorizam seu patrimônio.

Técnicas avançadas são para investidores experientes

No início do artigo citamos que até investidores com algum tempo nos investimentos cometem erros na hora de fazer seu aporte. O principal ponto é buscar técnicas avançadas, como day trade (compra e venda de ações, várias vezes, no mesmo pregão), que são espinhosas até para investidores mais qualificados. Novamente, saiba até onde pode chegar e evite que a ganância tire seu foco.

Conheça as taxas de administração

Outro erro comum na hora de investir é ignorar as taxas de administração. Muitos investidores utilizam de simuladores, reconhecem a segurança/liquidez/rentabilidade do investimento, mas esquecem da taxa de administração. Ao fazerem o resgate, a surpresa: uma parte do que acumularam é consumido pelo banco ou corretora. Taxas como essa devem ser analisadas previamente ao produto financeiro.

Diversifique a carteira

Ter todo o dinheiro em apenas um investimento não é saudável. Contudo, é o equívoco de muitos investidores. O antídoto para isso é a diversificação da carteira: evita-se perder todo o patrimônio caso algo dê errado e, além disso, possibilita entender quais são os produtos financeiros mais adequados para o seu objetivo.

Defina o seu perfil de investidor

Todas as características citadas até aqui precisam convergir no mesmo ponto: o seu perfil de investidor. Para diminuir a chance de erro ao fazer aportes a quase zero, saiba qual é o seu tipo de comportamento ao investir – conservador, moderado e agressivo são os três ‘espectros’ principais. Assim, todo investimento será pensado sob seu perfil.

Acompanhe os investimentos

Talvez nenhum erro seja tão comum quanto este. O investidor aporta, todo mês, a quantia estabelecida. Diversifica a carteira, respeita seu perfil investidor, não opta por ‘loucuras’. Mas, só irá saber quanto rendeu na hora do resgate. Acompanhar os investimentos é primordial para estabelecer os melhores títulos financeiros e, assim, conquistar os melhores resultados.

O nosso blog conta com várias dicas como essa para que você possa potencializar seus investimentos.

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário