25 de junho de 2019

Como posso comprar ações?

A compra de ações pode ser uma ótima opção de investimento. Mas com as tantas variáveis que definem a oscilação das bolsas de valores e com envolvimento diário que você tem com as tarefas que já fazem parte da sua vida diária, você pode estar se perguntando: “como posso comprar ações?”. Nós preparamos um guia rápido para lhe ajudar nessa empreitada. Está curioso? Acompanhe com a gente!Como posso comprar ações Como posso comprar ações?

Defina um objetivo de olho nos riscos

A primeira coisa a fazer é definir um valor a ser investido e qual será finalidade dos resultados daquele investimento. Comprar um carro, trocar o apartamento ou investir na ampliação da empresa, por exemplo, podem ser as metas para a aplicação do dinheiro que for ganho no mercado de ações.

Mas, lembre-se: a Bolsa de Valores oscila, os ganhos podem ser maiores ou menores, de acordo com estas oscilações e pode, inclusive, haver perda de dinheiro, ainda que momentânea. Também é preciso ter em mente que ganhos estratosféricos e alta rentabilidade em curto espaço de tempo não fazem parte da normalidade do mercado de ações.

Escolha a corretora e abra a conta

Para negociar as ações no pregão da bolsa é preciso recorrer à intermediação de um profissional credenciado como corretor de valores. Esse profissional atua em uma corretora que oferece o suporte para os investimentos, ajudando a escolher as ações, a traçar o perfil do investidor, prestando assessoria com informações sobre o mercado, avisando sobre as possibilidades de investimento e informando sobre dividendos ou bônus. De acordo com a estrutura da empresa, você poderá investir pela internet; obter relatórios de ações, informativos, suporte por telefone, entre outras facilidades.

Portanto, o segundo passo a ser dado é selecionar a corretora de acordo com as características que mais atendem ao que você deseja em termos de atendimento e de taxas. Pesquise bastante, compare as taxas de corretagem, que variam de uma corretora para outra. Clique aqui e confira uma lista de 5 boas corretoras.

Depois de eleger a corretora que cuidará do seu investimento, de posse de cópias e originais do seu CPF, RG e comprovante de residência, vá até lá para preencher a ficha cadastral e assinar o termo de adesão e de intermediação.

Saiba quanto e como investir

No primeiro passo, você já definiu o valor do seu investimento. Converse com o corretor sobre ele. Afinal, do ponto de vista legal não há um valor mínimo estabelecido para a compra de ações. Contudo, você deve considerar os valores das taxas cobradas, que definirão se o valor investido será ou não compensador.

Existem dois tipos de taxas. Há a taxa de corretagem, que é o valor cobrado pela corretora para acesso ao mercado e que pode ser um valor fixo ou um percentual do valor da operação. E há também a taxa de custódia, que é o valor mensal que a corretora cobra pela guarda das ações, que pode até ser gratuita.

Portanto, se você for investir R$100, por exemplo, e a sua corretora cobrar R$18, entre taxa de corretagem e taxa de custódia, você deverá obter um rendimento de 18% somente para pagar as taxas, o que faz com que este valor não seja compensador.

Para transações inferiores a R$20 mil por mês há isenção de Imposto de Renda. Transações de valores maiores do que esse têm o rendimento taxado em 15%.

Portanto, é essencial que você tenha uma boa conversa com o corretor que for eleito para o seu atendimento. Esclareça com ele todos os pontos referentes a taxas e IR e apresente a sua intenção de investimento, para ele te indicar a melhor forma de aplicar seu dinheiro e esclarecer o valor ideal para o seu perfil.

Feito isso, o próprio corretor lhe indicará os procedimentos de depósito do dinheiro que fará com que você se torne um investidor do mercado financeiro.

E se você ainda ficou com alguma dúvida escreva para nós no espaço de comentários!

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário