22 de agosto de 2017

Consórcio vs. financiamento imobiliário: qual o ideal para você

consorcio vs financiamento imobiliario e1502129751384 Consórcio vs. financiamento imobiliário: qual o ideal para você

A vontade ou a necessidade de comprar um imóvel nem sempre coincide com a capacidade de fazer o pagamento à vista. Porém, como existem várias linhas de crédito imobiliário, isso não significa que a compra tenha que ser adiada indefinidamente e muito menos que ela deva ser vista como um sonho impossível. Pelo contrário, recorrendo a um consórcio ou a um financiamento você poderá fazer um planejamento financeiro para adquirir o imóvel desejado.

Mas, qual a melhor opção: consórcio ou financiamento imobiliário? Nesse post fizemos uma análise que lhe ajudará a encontrar a melhor solução para o seu caso.

Características dos consórcios

Os consórcios têm se apresentado como uma ótima solução para o crédito imobiliário e existem dois motivos básicos para isso. Primeiro, porque não há qualquer burocracia para aderir a um grupo de consórcio. O processo é totalmente descomplicado, sem análise de crédito. Para assinar o contrato basta apresentar à administradora os documentos de identidade e um comprovante de residência.

O segundo motivo está no fato dos consórcios não cobrarem juros sobre as parcelas. Há apenas um seguro e uma taxa de administração do serviço. Assim, os imóveis comprados com consórcios acabam ficando mais baratos do que os que são adquiridos por meio de financiamento.

Todavia, vale destacar que o dinheiro do consórcio é liberado na forma de uma carta de crédito que é entregue de acordo com três possibilidades: por sorteio, por lance em leilões que acontecem nas assembleias de consorciados ou no encerramento do grupo. Isso significa que quem não é sorteado e não vence um dos leilões precisa esperar muito tempo para receber o dinheiro, o que pode levar vários anos.

Além disso, como o parcelamento do consórcio é inferior ao dos financiamentos, as parcelas do sistema ficam mais altas do que as do crédito bancário.

O financiamento

Os financiamentos cobram juros que variam de acordo com a linha de crédito. No Sistema Financeiro da Habitação (SFH), por exemplo, que financia imóveis com valores limitados a R$ 1,5 milhão, os juros são de, no máximo, 12% ao ano.

Já o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e outras linhas de crédito que permitem a compra de imóveis com valores acima do limite do SFH os juros obedecem às leis de mercado e, geralmente, são mais elevados.

Porém, é preciso ressaltar que no empréstimo bancário a liberação do dinheiro é feita logo após a aprovação do cadastro do proponente. Com isso a compra do imóvel pode ser feita em curtíssimo prazo.

Ao mesmo tempo, como o parcelamento pode ser feito em até 420 meses, os valores das parcelas ficam mais baixas do que no consórcio e podem até ser condicionadas pelo salário do proponente. No SFH, por exemplo, o valor da parcela não pode ultrapassar a 30% da renda do mutuário, o que dá certa tranquilidade nos pagamentos.

Compra imediata

Pensar no consórcio para comprar um imóvel para uso próprio imediato só é uma boa ideia para quem dispõe de dinheiro suficiente para dar um lance vencedor em um dos leilões de carta de crédito e também tem condições para assumir uma parcela mais elevada. Para os outros casos, a melhor opção seria o financiamento;

Com ele, mesmo pagando juros, considerando que a situação cadastral do proponente está regular, é possível ter a certeza de que o dinheiro será liberado em curto espaço de tempo.

Investimento

Por outro lado, se o propósito é adquirir um segundo imóvel para investimento, o que não requer urgência, o consórcio permanece como uma boa ideia mesmo para quem não tem dinheiro para dar lance. Afinal, esta opção pode ser vista como uma espécie de poupança, que tem a finalidade específica de comprar um imóvel, com a vantagem da possibilidade de liberação do crédito por sorteio.

Porém, convém mais uma vez destacar a possibilidade da parcela ser elevada. Sendo assim, uma boa ideia é fazer simulações junto às administradoras de consórcio e às instituições financeiros que concedem crédito imobiliário a fim de certificar o que é mais conveniente para o sue orçamento.

Agora que você já tem bons argumentos para escolher entre consórcio ou financiamento imobiliário, que tal compartilhar estas informações com os amigos pelo Facebook?

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário