13 de dezembro de 2018

Discordância, conflito e confronto

Podemos dizer que em uma empresa saudável existem discordâncias e conflitos. As discordâncias diferem-se um pouco dos conflitos: são diferenças de opiniões, de forma de se ver uma situação, que pode ser fruto da cultura, vivência e experiência de cada um. O conflito além de envolver a diferença de opiniões, envolve ação. As pessoas já tomaram posições, já estão de “lados” opostos, as partes envolvidas têm os mesmos objetivos, mas vêem de maneira diferente a forma de atingi-los.

conflito Discordância, conflito e confronto

Todos os conflitos envolvem discordância, mas nem todas as discordâncias resultam em conflitos. O ideal seria deixar que as discordâncias se tornassem conflitos. O problema maior acontece quando elas se transformam em confronto. No confronto as pessoas envolvidas estão certas de ter opiniões diferentes. Não existe intenção de compor e sim de empregar todos os esforços para se sair vencedor. As idéias próprias devem triunfar. A situação de confronto é muito difícil de ser resolvida sem perdas. Normalmente formam-se duas facções: os membros formam grupos opostos e a competição está instalada. A empresa só tem a perder numa situação de confronto.

Do conflito pode-se gerar sinergia. De duas idéias opostas, podem surgir outras idéias, que muitas vezes são melhores que as idéias que se opuseram inicialmente. Isto é benéfico para toda organização. Já no confronto não há benefício, todos saem perdendo, seja emocionalmente, por parte dos funcionários, seja financeiramente por parte da empresa que acaba perdendo tempo e dinheiro em discussões sem benefícios.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
6 Comentários

Adicionar comentário