14 de novembro de 2018

Entenda como as dívidas podem comprometer a sua saúde emocional

entenda como as dividas podem comprometer a sua saude emocional e1516043285161 Entenda como as dívidas podem comprometer a sua saúde emocional

Ao pensarmos sobre nossa saúde emocional, muitas vezes, deixamos de considerar aspectos importantes que podem influenciá-la e que nem sequer imaginávamos, logo, não conseguimos eliminar a causa do problema.

Um deles está ligado à nossa situação financeira (ficou surpreso?), mas, geralmente, apesar de ser comum, desconsideramos o fato, o que pode ser um erro e tanto!

Por isso, ter um controle adequado das finanças é essencial para evitarmos situações que podem influenciar de maneira negativa nossas emoções.

Quando falta dinheiro para pagar as contas ou as dívidas estão acumuladas, as preocupações nos levam a algumas dificuldades, sobre as quais trataremos neste post. Acompanhe e saiba que complicações as dívidas podem causar em nossa saúde emocional — lembrando que, com o controle financeiro adequado, elas são evitadas.

Estresse

Uma das principais dificuldades trazidas pelas dívidas e que pode desencadear demais problemas, é o estresse, que causa sintomas, como dor de cabeça constante, impaciência e até tontura. O indivíduo atingido pelo estresse, geralmente, apresenta sinais não só físicos, mas também psicológicos, acarretando dificuldade para tomar decisões e tendo sua qualidade de vida altamente atingida.

Ansiedade

Recentemente, um levantamento apontou que 69% dos consumidores com dívidas são atingidos pela ansiedade. Especificamente, os afetados possuem contas atrasadas por mais de 90 dias, e muitos deles, em decorrência desse e de outros males emocionais, afirmaram que suas vidas profissionais também foram abaladas por conta da desatenção e baixa produtividade.

Atualmente, muitos fatores já estimulam a ansiedade, eliminar um deles, evitando as dívidas, pode ajudar a diminuí-la.

Depressão

Muitos endividados também sofrem de depressão, que gera tristeza, profundo desânimo e pode estar associada à ansiedade e ao estresse. E se no estado de estresse temos dificuldade para tomar decisões, como citamos, no depressivo essas e outras atitudes podem se tornar ainda mais difíceis de serem realizadas.

É importante pontuar que depressão, ansiedade e estresse não são iguais, embora possam estar interligados, e somente um médico pode fazer o diagnóstico preciso. Outro ponto importante a ser ressaltado sobre a depressão é o errôneo preconceito que gira em torno do problema, que é uma questão de saúde e deve ser tratada com cuidado e esclarecimento.

Conflitos

Em decorrência dos fatores citados anteriormente (estresse, ansiedade e depressão), o atingido pode vivenciar constantes conflitos, em casa, no trabalho, com os amigos. A falta de concentração e energia, o “pavio curto” e outros sintomas frutos dos problemas anteriores podem prejudicar o relacionamento com outras pessoas.

Portanto, ressaltamos que, para evitar essa situação, é importante manter o controle financeiro no dia a dia, lembrando que esse é um setor de nossas vidas que requer cuidados regulares.

A preocupação com o dinheiro pode parecer inofensiva inicialmente, mas, se há algum incômodo, existe também um problema a ser resolvido. Não ignore os primeiros sinais de preocupação e evite impasses futuros e mais graves.

E como hoje dispomos de muitas informações e diversas ferramentas para nos auxiliar na organização e gestão financeira, tanto pessoal quanto profissional, não há desculpas para adiá-las.

Achou este conteúdo interessante? Compartilhe-o em suas redes sociais!

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário