25 de junho de 2019

Já dizia Karl Marx: Mais Valia é o que importa!

dinheiro 150x150 Já dizia Karl Marx: Mais Valia é o que importa!Como você quer ser remunerado? Pelo que produz ou por hora que permanece dentro da empresa?

A remuneração tradicional presente na quase totalidade das organizações brasileiras é a por hora de trabalho. Trabalham-se 44 horas semanais, 8 horas todos os dias e mais 4 horas no sábado.

Tal política na era do conhecimento é muito retrograda, além de ser injusta.

Pensando sobre a ótica apenas capitalista, todo trabalhador deve ser remunerado pela sua capacidade de produzir o que Karl Marx chamou de Mais Valia. Ele recebe parte da mais valia (lucro) de sua produção. A outra parte – a maior parte – vai para o empreendedor. Sob esta visão não tem segredo, recebe mais quem produz mais.

Agora entenda que o produzir mais é trazer mais lucros para a organização. Esqueça aquela visão antiga de tempo dedicado à atividade. O tempo despendido não é importante, o que importa é o retorno financeiro. Você pode trabalhar pouco e gerar grande lucro, como pode trabalhar muito, em termos de tempo, e gerar baixíssimo retorno. Empresas modernas remuneram funcionários por valor agregado ao negócio, seja o valor financeiro, seja conhecimento incorporado a estrutura organizacional ou ainda a publicidade positiva, o que gera vendas e lucros.

Veja o caso de muitos esportistas, o jogador Ronaldo, por exemplo; na minha visão um ex-jogador em atividade. Ele recebe um salário astronômico e quase não entra em campo, mas mesmo sem jogar futebol ele gera uma enorme mais valia em publicidade, afinal associar seu nome a um produto faz o produto vender, e vender muito. Por isso ele ganha bem, pois gera lucro.

Trabalhadores braçais trabalham muito quando pensamos no tempo dedicado à atividade, mas geram pouco valor agregado, produzem pouca mais valia e, portanto, são mal remunerados.

Outro dia ouvi uma pessoa comentando: “O Sr. Luiz deveria ganhar muito mais, pois ele trabalha muito”. Visão errada. Trabalhar muito numa sociedade capitalista como a nossa, nada tem haver com horas trabalhadas e sim com a mais valia produzida. Esse deve ser o foco de todo profissional, buscar alta produtividade, gerar o máximo de retorno financeiro em sua atividade para poder ganhar parte desse retorno gerado.

Todo mundo quer dinheiro, isto é fato. Agora para se ganhar dinheiro é necessário trazer dinheiro para organização que se trabalha. Infelizmente a quase totalidade dos cursos não se preocupam em ensinar os alunos a gerar dinheiro, eles se preocupam em apenas ensinar o aluno a ser eficiente em sua profissão, mas como já dizia o mestre Peter Drucker “nada é mais inútil do que fazer com eficiência extraordinária algo que não precisaria ser feito de jeito algum”. Em resumo, não adianta fazer bem o que não serve para nada, o que não gera mais valia.

Numa sociedade capitalista, e eu amo o capitalismo, você não será remunerado por horas de trabalho, mas pela geração de lucro, mesmo que trabalhe por hora. Portanto, trabalhe menos e gera mais lucro.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
12 Comentários

Adicionar comentário