19 de junho de 2019

Juros Compostos: Saiba como ele funciona e como ele é calculado

juros compostos saiba como ele funciona e como ele e calculado e1554007121494 Juros Compostos: Saiba como ele funciona e como ele é calculado

No mercado financeiro, uma das aplicações mais utilizadas é conhecida como juros compostos, presente desde a cobrança do cartão de crédito até os principais investimentos, como Poupança e Tesouro Direto. É uma opção capaz de proporcionar ótimos rendimentos, mas que, ao mesmo tempo, pode levar a pessoa a dívidas incalculáveis.

Para que você não corra esse risco e saiba tirar o melhor proveito dos juros compostos, separamos algumas informações importantes sobre esse tipo de aplicação. Confira a seguir e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto!

O que são juros compostos?

A lógica dos juros compostos se baseia na aplicação de juros sobre juros. Nesse caso, os juros são calculados para cada período, sendo que a taxa é aplicada sobre o capital inicial mais os juros obtidos em cada um dos meses anteriores.

Fórmula dos juros compostos

A fórmula que expressa o cálculo dos juros compostos é dada por “M = C x (1 + i)t”, onde M é o montante obtido ao final da aplicação dos juros; i é a taxa de juros em porcentagem; C é o capital aplicado e t é o tempo da aplicação.

Como calcular os juros compostos?

O cálculo dos juros compostos é diferente do realizado nos juros simples. Isso porque, ao invés de aplicar os juros apenas sobre o valor inicial, de maneira fixa, estes são calculados sobre cada novo montante. Para esclarecer como é feito o cálculo dos juros compostos, vamos mostrar agora um exemplo simples e prático de como funciona esse tipo de aplicação. Acompanhe:

Exemplo de como calcular juros compostos

Suponha que você tenha uma quantia em dinheiro e que deseja investir por um período de 6 meses. Para esse exemplo, vamos utilizar o valor de R$ 100 mil, o qual irá sofrer a incidência de juros compostos de 2% ao mês.

Sendo assim, no primeiro mês você terá um montante de R$ 102 mil, ou seja, R$ 100 mil + R$ 2 mil (2%). Agora, para calcular o valor correspondente ao segundo mês, devemos levar em consideração a quantia obtida no período anterior, isto é, R$ 102 mil.

Aplicando a taxa de 2%, obtemos um valor de R$ 104.040 mil no segundo mês. Prosseguindo, chegaremos aos demais valores: R$ 106.120,8 mil no terceiro, R$ 108.243,2 mil no quarto, R$ 110.408,06 no quinto e R$ 112.616,22 no sexto período.

Vantagens

Entender como funciona a aplicação da taxa de juros compostos pode ser a chave para o sucesso de um investimento. Quando usada de maneira estratégica, essa opção pode fazer com que você aumente os rendimentos sem muito esforço.

Além de ter o crescimento rápido e exponencial como uma de suas principais características, nos juros compostos o tempo é o seu maior aliado. Quanto maior o período de investimento, maior será o montante que você irá acumular.

Pode ser uma ótima vantagem para quem deseja se aposentar com tranquilidade ou custear os estudos dos filhos no futuro. Gostou desse artigo?

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário