25 de junho de 2019

O custo mensal de um carro. Ir de táxi?

carro 150x150 O custo mensal de um carro. Ir de táxi?Os custos de um automóvel são diversos, e a decisão de ter ou não um veículo, ou mesmo se compensa ter um segundo veículo, deve ser tomada levando em conta dois fatores: o financeiro e o emocional.

A proposta deste artigo é apontar os custos financeiros de um automóvel no valor de R$ 30.000,00.

Já o fator emocional é impossível ser analisado, pois cada pessoa pondera e valoriza as coisas com uma abordagem pessoal, não sendo justo eu fazer ponderações considerando apenas os meus valores.

Os custos

Um automóvel tem custo anual de R$ 7.020,00, ou seja, um custo mensal de R$ 585,00. Estes valores não incluem o gasto com combustível.

IPVA – R$ 1.500,00

Seguro – R$ 1.500,00

Manutenção – R$ 1.200,00

Depreciação (5%) – R$ 1.500,00

Custo de oportunidade (2%) – R$ 600,00

Lavagem – R$ 720,00

Perceba que o custo mensal é alto, valor suficiente para se rodar de taxi aproximadamente 200 km mensais. Considerei o custo do taxi R$ 2,93 por quilômetro rodado, isto depois de pesquisar e concluir que os valores em minha região variam de R$ 2,50 a R$ 3,00.

O custo de combustível para se rodar 200 km é de R$ 66,00. Usei para o cálculo o valor de R$ 2,79 por litro de gasolina com o carro percorrendo 8,5 km por litro.

Somando-se o valor mensal de R$ 585,00 com o custo de combustível para se rodar 200 km, temos um total de R$ 651,00. De taxi é possível pagar 222 km rodados.

Chego à conclusão que alguém que tenha um veículo e roda mensalmente 222 km tem gastos equivalente ao andar de taxi. Para alguém que utilize o veículo apenas para rodar alguns quilômetros nos finais de semana, que trabalhe diariamente de ônibus, é mais compensador andar de taxi. É possível andar uma média de 55,5 quilômetros por final de semana. Em uma cidade pequena é possível ir às compras de supermercado no sábado pela manhã, num restaurante à noite jantar e ainda passear no shopping no domingo à tarde.

O táxi

Andar de táxi apresenta algumas vantagens: não há estresse em procurar vaga para estacionar e nem gasto com flanelinha, fora o conforto. Porém o custo por quilômetro rodado é muito alto.

O carro

Fora as despesas que não temos como fugir que listei acima ainda podem surgir despesas com multas, estacionamento e franquia em caso de batida.

Grande passivo

Um veículo é um grande passivo e infelizmente os jovens brasileiros logo que começam a trabalhar já equacionam as finanças de forma a comprar um veículo. Como a compra quase sempre é financiada em diversas parcelas, o custo final aumenta absurdamente. Ter um carro é fator impeditivo na construção de riqueza, o jovem em fase de construção de carreira deveria adiar o sonho do carro por alguns anos, andar de ônibus e investir o dinheiro em sua carreira, em qualificação formal que possibilitará o aumento da renda no futuro. Também este jovem deveria buscar sua independência financeira desde o primeiro salário e fazer aportes de ao menos 10% da renda líquida visando acumular e multiplicar os valores visando uma aposentadoria tranquila. Lembro que com as recentes quedas da taxa SELIC os investimentos em renda fixa estão cada vez menos atrativos. Quem quiser multiplicar valores terá que arriscar mais ou se dispor a aportar durante mais anos e se aposentar mais tarde.

Conclusão

A decisão de comprar um carro deve ser pautada em valores financeiros. Os custos são altos, o carro é um enorme passivo. Sempre ouvi falar que o veículo é um membro da família e se formos considerar o custo que ele dá, sem dúvida nenhuma podemos dizer que ele é sim um membro, e dos mais caros.

Boa semana!


Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
36 Comentários

Adicionar comentário