15 de julho de 2019

O que é Factoring?

O nome é bonito, mas o procedimento é meio perigoso.

Factoring é uma operação financeira mista, é a compra de ativos financeiros com prestação de serviço.

Uma empresa de Factoring compra créditos de outras empresas que foram gerados por uma venda a prazo. É mais ou menos um agiota legalizado. Quem realiza uma operação Factoring busca um dinheiro imediato de créditos que teria direito no futuro.

Deixa-me ser mais objetivo através de exemplos:

A empresa XYZ realiza 100 mil reais em vendas a prazo. Deverá receber tais valores em agosto/setembro/outubro. Só, como está quebrando, e está sem “caixa”, não tem dinheiro para, por exemplo, pagar seus funcionários e duplicatas de fornecedores com vencimento neste mês de julho. Como ela precisa de dinheiro, procura uma empresa de Factoring para vender seu crédito de 100 mil reais. A empresa compra, e claro, com juros que podem variar de 4 a 20% ao mês. Tudo dependerá da capacidade da empresa que solicita o dinheiro em arcar com suas dívidas. Quanto mais provável o risco de calote, maior o valor a ser cobrado pelo dinheiro.

O problema é que uma empresa que precisa realizar uma operação Factoring, em geral, está quebrada, está desesperada a procura de dinheiro. E, quem tem dinheiro a emprestar, capitalista do jeito que somos, irá explorar ao máximo essa fragilidade cobrando juros altíssimos pelo empréstimo do dinheiro.

Eu vejo uma operação de Factoring semelhante à pessoa física que procura dinheiro junto a um agiota. É último recurso. É a fase de desespero. É o fundo do buraco.

 O que é Factoring?

Empresas precisam de caixa.

Caixa é dinheiro líquido para poder operar com segurança. Seja para pagar suas dívidas corriqueiras seja para aproveitar oportunidades que possam surgir.

Uma empresa que tenha caixa não fica refém de ninguém, ela dita as normas, ela faz as regras. Afinal quem tem o dinheiro é quem controla a negociação.

Uma empresa que tenha caixa pode vender a prazo seus produtos e lucrar duas vezes: lucrar pela venda do produto e lucrar pelos juros cobrados nas vendas realizadas a prazo. Casas Bahia é especialista nisso. Para eles é muito mais interessante vender um produto em prestações a perder de vista, lucrando com a venda e com os juros, do que vender um produto para o cliente que paga a vista.

Só que para fazer isto uma empresa deve ter CAIXA. Tão importante como vender para uma empresa, é ela ter caixa para poder operar com tranqüilidade e segurança.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
6 Comentários

Adicionar comentário