25 de junho de 2019

Onde investir pequenos valores?

moeda 150x150 Onde investir pequenos valores? Um questionamento corriqueiro nos e-mail e mesmo nos comentários do blog é onde investir pouco dinheiro. Eu defendo a economia de ao menos 10% dos rendimentos líquidos como filosofia de vida. Não importa o valor, o que considero fundamental é a criação do hábito de viver com não mais que 90% do salário.

Cada vez mais tenho percebido que economizar é um hábito. E hábitos fiquem impregnados em nosso DNA. São dificílimos de mudar e ainda são passados para as próximas gerações. A tendência é nossos filhos seguirem nossos exemplos, sejam eles bons ou maus. Tendo adquirido o bom hábito de viver com apenas 90% do que se ganha é bem provável que seus herdeiros farão o mesmo.

Volte a repetir, o importante não é o valor poupado e sim o hábito adquirido e cultivado ao longo dos anos de poupar.

Mas fugi um pouco da proposta inicial desse texto: onde investir pouco dinheiro. O melhor lugar para se investir pouco é a velha e boa caderneta de poupança. Ainda mais se os depósitos não são frequentes. Realmente não se tem grandes alternativas com apenas 100 reais mensais ou menos que este valor.

Você já deve saber que para se abrir conta em uma corretora de valores não há custos. Também nada é cobrado para se manter a conta aberta. Diferente dos bancos tradicionais que cobram taxas de manutenção mensalmente independente do valor presente em conta corrente, nas corretoras você só paga taxas quando operar, ou seja, quando efetivamente fizer uso de seus serviços. Algumas corretoras ainda isentam seus clientes de qualquer taxa quando eles operarem apenas no Tesouro Direto. Sendo assim, você poderá fazer uso de alguns serviços da corretora sem custo algum para o seu bolso. Abra sua conta agora, mesmo que você não esteja pensando em operar nem com ações e nem com títulos públicos, mas abra a conta e deixe-a lá, paradinha, quem sabe você não muda de ideia, quando você criar coragem será só começar.

Eu considero ideal para valores pequenos o acumulo em caderneta de poupança, talvez economizar por 12 meses e depois comprar algum título público através do Tesouro Direto. Só um detalhe: compre títulos com dois anos de vencimento ou mais e tenha certeza de que não ira precisar resgatá-lo antes da data de vencimento. Por quê? Para não pagar IR além do valor mínimo de 15%. Este valor é cobrado quando se investe por dois ou mais anos. Resgate de títulos em menor tempo à mordida do leão é maior.

Eu iria falar para você investir também em conhecimento. Iria não, vou falar: invista em seu conhecimento e aprendizado, tanto em finanças como em qualificação profissional. Mas mesmo investindo em educação não deixe de poupar os 10%. Crie o hábito que falei acima. Invista religiosamente 10% dos rendimentos líquidos aconteça o que acontecer. Gente: estou partindo do pressuposto que você não possui dívidas e sua vida financeira é saudável, que você não gasta além do que ganha. Caso isto não esteja acontecendo você ainda está em um estágio anterior quando o assunto é educação financeira e é preciso aprender primeiramente a gastar no máximo o que se arrecada. Este é o primeiro estágio.  Aí sim entra o segundo estágio: economizar 10% dos rendimentos. Como falei acima estou cada vez mais convencido que este valor realmente deve ser poupado para se criar o hábito de poupar. Também não poupe mais que isto neste momento se sua renda é baixa, invista o que vai além desta quantia em educação, em formas de ganhar mais dinheiro.

Ouvindo um podcast do consultor Max Gehringer ele salientou da importância da educação formal para se aumentar o valor do salário recebido. Ele respondia a pergunta de um ouvinte, lhe recomendo ouvir o áudio clicando aqui. Perceba nas palavras do Max que o salário está diretamente ligado aos anos de estudo do profissional. A regra é: quando mais anos de estudos você tem maior é seu salário. Exercer cargos de chefia também aumenta o salário, mas como existem poucas vagas de chefes formais, e muitas vezes se faz necessário muito networking para se chegar a elas, o negócio é não contar com elas.

Resumindo então minhas recomendações abordadas neste post: crie o bom hábito de poupar 10% dos seus rendimentos religiosamente; invista em educação formal e em cursos de aperfeiçoamento e idiomas, maior conhecimento lhe proporcionará maiores rendimentos; invista pouco dinheiro na caderneta de poupança; abra conta numa corretora de valores e acumule na poupança e posteriormente compre títulos públicos com prazo de vencimento acima de dois anos para pagar menos imposto de renda.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
4 Comentários

Adicionar comentário