20 de junho de 2019

Os 5 tipos de investimentos financeiros mais conhecidos

6 sacrificios que voce deve fazer se quiser ficar rico Os 5 tipos de investimentos financeiros mais conhecidos

Aquele antigo provérbio que diz que a economia é a base da prosperidade continua muito atual. Afinal, em qualquer tempo, quem pensa em conquistar uma vida próspera não pode abrir mão de fazer alguma reserva de capital. Porém, para que esta estratégia funcione de fato, também é necessário pensar nas melhores formas de guardar o dinheiro, mantendo o foco tanto na segurança, quanto na rentabilidade que as várias formas podem oferecer.

Nesse post vamos falar um pouco sobres os cinco tipos de investimentos financeiros mais conhecidos.

Poupança

A poupança é um dos investimentos financeiros mais tradicional e popular que temos no Brasil. Com fundos garantidos pelo Governo Federal, também é um dos mais seguros do país. Contudo, por isso mesmo, está entre os de rentabilidade mais baixa: 6% ao ano, mais a taxa básica mensal de juros. Afinal, o mercado financeiro tem essa característica: quanto menor o risco que um investimento oferece, menos rentável ele é.

Pouco rentável, a poupança apresenta as vantagens do dinheiro poder ser sacado a qualquer momento e de não haver incidência de Imposto de Renda sobre os rendimentos. Além disso, como não há qualquer limite para o valor da aplicação, mesmo os pequenos investidores, com pouquíssimo capital, podem recorrer a ela.

CDBs

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um título que os bancos emitem e vendem aos clientes para obtenção de recursos. O investidor recebe um rendimento por esse empréstimo que ele faz ao banco. O risco é baixo, uma vez que ele só existe para o caso de quebra da instituição.

Porém, mesmo havendo a quebra, os bancos devem garantir o pagamento mínimo de R$ 250 mil. Isso significa que se você pretende investir mais do que esse valor, a melhor opção é aplicar o dinheiro em mais de um banco.

No CBD existe a cobrança de imposto de renda, mas mesmo assim costuma ser um tipo de investimento que costuma a ter uma lucratividade 2 vezes maior que a da poupança.

Uma desvantagem em relação a poupança é que normalmente não é possível retirar o dinheiro antes de um prazo determinado sem que exista o desconto de uma taxa por isto. Vale ressaltar também que no caso de investimentos em CDBs, na maioria das vezes é mais vantajoso utilizar uma corretora de investimentos do que fazer isto através do seu banco, devido a alta taxa de administração cobrada pelos bancos.

Títulos do Tesouro Nacional

O Governo Federal também vai ao mercado buscar dinheiro e faz isso por meio da venda de títulos do Tesouro Nacional pela internet. O valor mínimo de investimento é de R$ 30 e o resgate pode ser feito em curto, médio ou longo prazo. O risco é baixo visto que o pagamento é garantido pelo próprio governo. O maior risco de não receber o dinheiro investido é quando ocorre quebra do país, ou seja é um investimento bastante seguro. Os próprios bancos destinam parte do seu dinheiro para investimentos em títulos do governo.

Existem vários títulos diferentes e a rentabilidade é bastante superior a da poupança, com a facilidade de resgate imediato e sem perdas para títulos como o tesouro indexado a SELIC.

Fundo de investimento

Um fundo de investimento funciona como um condomínio de investidores que é administrado por uma instituição financeira, que cobra uma taxa por esse serviço. Nesse condomínio, cada investidor possui uma cota, que dá direito aos benefícios do rendimento que for obtido durante determinado período.

Há carteiras com maior risco do que outras e que oferecem maior rentabilidade. O resgate só pode ser realizado após um determinado prazo de carência e de acordo com as regras de cada fundo.

Aliás, estas regras devem merecer bastante atenção de quem optar por esta investimento.

Uma boa dica é conhecer bem quem está por traz da administração dos fundos.

Ações

Quem comprar uma ação de uma empresa se tornará sócio dela. Inclusive, há aquelas ações que dão até direito a voto na assembleia de acionistas. Isso significa que se a empresa valoriza o acionista, obtém rentabilidade, sendo que o inverso também é verdadeiro.

Os valores mínimos de investimento são relativamente baixos. Porém, os riscos são consideráveis, uma vez que são inúmeros os fatores que influenciam a valorização ou a desvalorização das empresas no mercado. Esses fatores vão desde as políticas internas da própria empresa ou do país onde ela está sediada, até questões relacionadas à economia internacional, entre várias outras.

Ações é um tipo de investimento que possui grande variação de valor. É uma excelente oportunidade de obter altos rendimentos, mas também pode gerar prejuízos consideráveis principalmente para investidores que tem pouco conhecimento e experiência no mercado.

Esperamos que tenha gostado do artigo e que ele tenha ajudado de alguma forma.

Grande abraço!

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário