16 de dezembro de 2017

Qualidade de vida e educação financeira

qualidade de vida e educacao financeira Qualidade de vida e educação financeira

A evolução dos meios de produção criou uma disponibilidade de produtos e serviços nunca antes vista. As possibilidades de crédito e a cultura de consumo, aliadas a uma engenhosa propaganda maciça de marcas, culminou em uma massa ávida pela aquisição dos mais diversos serviços e produtos. Isso causou um endividamento da maioria da população, que não possui uma educação financeira voltada à prevenção.

Há uma relação direta entre qualidade de vida e educação financeira. Dizer isso pode parecer óbvio para qualquer pessoa, mas é incrível como muitos ainda vivem sob a permanente tensão de se preocupar com o final do mês. Contas e problemas financeiros poderiam ser facilmente resolvidos, caso houvesse um maior planejamento das finanças.

Pensando nisso, trouxemos no post de hoje formas de organização financeira, o que pode ser conquistado com alguns passos simples. Confira!

Conhecimento

De acordo com o Indicador de Educação Financeira, medido pelo Ibope e pela Serasa Experian, há uma relação direta entre o nível de conhecimento e consciência financeira e o quanto de estresse a pessoa experimenta.

Hoje em dia, possuir uma educação financeira se tornou mais que meramente poupar dinheiro. Tornou-se uma forma de garantir maior tranquilidade no presente e no futuro. Nesse sentido, deve-se buscar todo conhecimento necessário sobre controle das finanças para não cair em armadilhas e dívidas.

Decisão

O primeiro passo para utilizar a educação financeira focada em qualidade de vida é decidir fazer isso. É preciso força de vontade e uma confiança de que é o melhor a se fazer, pois o processo não é simples nem curto. Ao contrário, educar-se e colocar isso em prática requer muita disciplina e um planejamento a longo prazo. É preciso estar comprometido.

Mapeamento

Para poder saber quais são os problemas financeiros e identificar suas causas, é preciso primeiro organizar a vida financeira, verificando quais as receitas (o que entra) e os gastos (o que sai). Anote tudo o que se gasta na sua casa ou empresa, mantendo a contabilidade nos seus mínimos detalhes. Esse processo pode durar algumas semanas, mas mapear sua vida financeira ajudará nos passos seguintes.

Planejamento

O maior problema de quem não possui educação financeira e vive sob estresse permanente é a sensação de que está sempre no limite e correndo atrás de conseguir colocar as contas em dia. Para evitar isso, é preciso planejar seus gastos de acordo com suas receitas. É preciso criar um orçamento no qual constem as despesas fixas (aluguel, contas mensais etc.), despesas variáveis (alimentação, lazer etc.) e as receitas (salário, investimentos etc.). Isso deve ser equalizado, de forma que as receitas excedam as despesas. Com isso, é possível para de correr atrás para se estar tranquilo com as finanças.

Prevenção

É preciso também, para se ter qualidade de vida, utilizar a educação financeira para prever problemas e se prevenir contra eventualidades, criando uma rede de segurança financeira que pode ser acessada para amortizar situações como problemas de saúde, possível desemprego etc. Manter investimentos líquidos, adquirir bens duráveis, ter uma reserva de capital são algumas dessas possibilidades.

Contar com uma educação financeira que ajude a fazer orçamentos e planejamentos, manter uma rede de segurança e possibilitar alcançar sonhos maiores se traduz em menos estresse, problemas e dificuldades. Por isso, é essencial, para ter qualidade de vida na nossa época de consumo, adquirir esses conhecimentos e consciência.

Como está sua vida e sua educação financeira? Deixe seu comentário abaixo e nos conte sua história ou dúvidas!

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário