13 de dezembro de 2018

Rentabilidade real versus nominal: desconte a inflação.

rentabilidade real 150x150 Rentabilidade real versus nominal: desconte a inflação.Chamamos de rentabilidade real o valor final de um investimento após ser descontada a inflação acumulada no período. A rentabilidade nominal é o valor bruto, sem considerar a perda de valor do dinheiro no período.

Um investimento que tenha rendido em 12 meses 12,50% e no mesmo período a alta inflacionária foi de 5,50% teve uma rentabilidade real de 7,00%. Certo? Errado. Descontar a inflação é diferente de subtraí-la. A resposta correta é 6,60%.

A proposta deste artigo é ensinar a você investidor calcular a rentabilidade real dos investimentos e também provar o porquê apenas subtrair a inflação é errado.

Gosto de exemplos para ensinar, eles facilitam o entendimento de conceitos.

Imagine um bem que custe hoje R$ 2.500,00. Você tem exatamente este valor, mas vai precisar do bem somente daqui a 12 meses, sendo assim decide investir o dinheiro e comprá-lo no futuro. 12 meses se passaram e seu investimento obteve uma rentabilidade nominal de 12,50%, você acumulou R$ 2.812,50. A inflação do período foi de 5,50% e o bem que custava R$ 2.500,00 agora está custando R$ 2.637,50.

Para descobrir a rentabilidade real do investimento devemos considerar o poder de compra do capital disponível. E o capital acumulado é capaz de comprar hoje pouco mais de um bem do mesmo que comprava há 12 meses.

R$ 2.812,50 / 2.637,50 = 1,06635

Os cálculos abaixo estão com apenas duas casas decimais depois da vírgula.

Observe que o valor acumulado no investimento é capaz de comprar 6,60% do bem desejado e não 7,00% dele.

A sobra de valor após comprar o bem hoje é de R$ 175,00; que representa 6,60% do valor dele e não 7,00%.

Equação de Fischer

Inving Fischer (1867 – 1947) economista estadunidense facilitou nossa vida e criou uma equação para encontramos a rentabilidade real:

Rentabilidade Real = (1 + Rentabilidade Nominal) / (1 + Inflação) – 1

O que faz muitos apenas subtraírem a inflação ao invés de descontá-la é provavelmente a facilidade no cálculo. No curto prazo a diferença é pouco significativa, mas no longo prazo ela não pode ser ignorada pois é exponencial.

Exemplo:

Um valor de 50.000,00 investido por 30 anos considerando uma rentabilidade de 7,00% ao ano perfaz um montante de R$ 380.612,00, enquanto considerando uma rentabilidade de 6,60% o montante acumulado é de R$ 340.162,00. São mais de R$ 40.000,00, uma diferença que não dá para ignorar.

Conclusão

Ao realizar os cálculos de rentabilidade de seus investimentos desconte a inflação e não apenas a subtraía. Também considere fazer a correção inflacionária a cada novo aporte mensal ou realizar a correção anualmente considerando a inflação do período.

Lembro também que o IPCA, índice oficial do governo, é uma amostra representativa da inflação no Brasil. A inflação percebida por você pode apresentar uma realidade diferente. O hábito de manter uma planilha eletrônica de despesas pode ajudá-lo a criar seu próprio índice inflacionário, para isto você compara seus gastos mensais ou anuais e vê como a desvalorização do dinheiro afeta seu poder de compra.

Boa semana!

Receba nossos próximos artigos diretamente em seu e-mail assinando nossa lista, basta colocar seu e-mail na caixa abaixo.


Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
8 Comentários

Adicionar comentário