25 de junho de 2019

Tempo é fundamental

Não sei se é apenas uma impressão minha, mas as horas, os dias, os meses e os anos estão mais curtos. Parece loucura o que estou dizendo, mas realmente tenho a impressão que uma hora de alguns anos atrás durava mais tempo do que uma hora de hoje.

 Tempo é fundamental

No serviço nos é cobrado maior produtividade, e cada vez que você entrega mais acham que você pode entregar ainda mais, não há limite.

Duas coisas fundamentais para se evitar estresse e aborrecimento é o gerenciamento do tempo e das atividades urgentes e importantes. Em geral gastamos muito tempo resolvendo problemas urgentes e negligenciamos os importantes, isto é ruim.

 Tempo é fundamental

Como se organizar?

Recomendo começar sua semana planejando o que deve ser feito. Planeje tudo o que deve ser realizado de importante e não se esqueça de separar tempo para resolver os “pepinos” urgentes que aparecerão. Também reserve tempo para praticar alguma atividade física e para o lazer com a família, coisas muito importantes.

Após você ter anotada todas as atividades a serem cumpridas anote o tempo médio de realização de cada uma, defina as prioridades e execute cada atividade de acordo com a prioridade estabelecida.

Aprenda a dizer não. Se seu chefe quer lhe atribuir outra tarefa, seja assertivo, mostre a ele tudo o que deve ser realizado e o tempo médio que se irá gastar, prove a ele que não há mais tempo para outra atividade.

Delegue. Não queira abraçar o mundo, atribua responsabilidade aos outros.

Planeje. É preferível gastar algum tempo no planejamento das etapas a serem seguidas do que começar e perceber a frente que desta maneira o resultado desejado não será alcançado.

E para finalizar anote tudo, desde os melhores resultados até os medíocres e os erros. No futuro as anotações terão utilidade.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
5 Comentários

Adicionar comentário