16 de dezembro de 2017

Veja os 3 erros mais comuns ao investir na aposentadoria

erros mais comuns ao investir na aposentadoria Veja os 3 erros mais comuns ao investir na aposentadoria

Cada vez mais fala-se a respeito sobre se aposentar e quais os possíveis cenários envolvendo as previdências pública e privada. Contudo, pouco se conversa sobre a importância de investir na aposentadoria quando se deseja ter uma vida tranquila financeiramente depois que se para de trabalhar.

Justamente por esse motivo, muitas pessoas não dão o devido valor a questão e acabam cometendo erros que podem impactar seus planos. Pensando nisso, listamos 3 dos erros mais comuns para você evitar e garantir o seu futuro com mais segurança. Confira!

1. Deixar para investir na aposentadoria apenas mais velho

Deixar para investir na aposentadoria apenas quando estiver, de fato, próximo dela é um grave erro. E, infelizmente, muitos brasileiros continuam com esse tipo de pensamento, isto é, de deixar para se preocupar a respeito em uma margem de 15 a 10 anos antes se aposentar.

Se você faz parte desse grupo é hora de repensar o assunto. Afinal, se você deseja ter uma vida tranquila e confortável, poder arcar com seus gastos e até mesmo viajar, é preciso se planejar com antecedência.

E esse planejamento envolve começar a poupar cada vez mais cedo, procurando iniciar aplicações mensais e se programar para deixar os aportes cada vez menores.

2. Não verificar o rendimento do investimento

Outro erro frequente e bastante importante é que muitas pessoas insistem em investir na mesma gama dos produtos de previdência privada no país por acharem mais seguros e não darem a devida atenção ao retorno que eles oferecem que, muitas vezes, é inferior ao esperado e com poucas vantagens para você.

Por isso, não tenha medo de tomar riscos e procurar outros bons investimentos que ofereçam uma margem real de ganho devido ao medo de perder capital. Pois são os rendimentos que farão toda a diferença mais a frente.

Aí entra novamente a questão de começar a planejar a aposentadoria cedo, pois quanto antes você puder, não apenas ter um valor X em uma renda fixa, mas também um valor Y em uma renda variável melhor será.

3. Contratar uma previdência não indicada para si

Por fim, não poderíamos deixar de citar outro equívoco bastante cometido: a escolha errônea da previdência privada.

Como cada uma funciona de uma forma diferente e possui suas próprias peculiaridades, sua decisão precisa ser bastante sábia, pois o valor final pode ser maior ou menor depois de alguns anos ou décadas dependendo da qual você escolher.

Para garantir que você se decida pela melhor, leve em conta alguns fatores, como, por exemplo, se a instituição da previdência é uma banco ou uma seguradora. Isso porque vale a pena conferir qual dos dois tem as menores taxas administrativas mensais e de carregamento.

Além disso, é de suma importância eleger o tipo de plano, seja ele o PGBL – mais adequado aos profissionais assalariados e que declaram IR – ou o VGBL – que é mais conveniente para empreendedores, autônomos, profissionais liberais e assalariados que são isentos de declarar. Já que uma vez decidido, não será mais possível mudar.

Investir na aposentadoria pode até não ser uma tarefa simples, mas com certeza trará frutos para o seu futuro e garantirá um padrão de vida que lhe permita viver com tranquilidade financeira e emocional.

Gostou de ler sobre o tema? Então não deixe de seguir a nossa página no Facebook para acompanhar outros conteúdos exclusivos diariamente!

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário