25 de junho de 2019

A bolsa de valores está nervosa. O que faço?

A bolsa de valores está nervosa, o que antes era um sobe e desce, agora é apenas desce. Muita gente está assustada e fugindo da renda variável. Com as constantes subidas da taxa básica de juros é natural a migração da bolsa para a renda fixa. A alta da SELIC deixa investimentos em Tesouro Direito, CDB, LCI e fundos DI muito mais atrativos.

Com juros altos empresas deixam de investir. Os especuladores investidores estrangeiros tendem a retirar o dinheiro da bolsa realizando a venda; o que faz o preço dos papeis caírem. Já o pequeno investidor pessoa física fica assustado, segue a manada e foge da bolsa, vende com prejuízo e reclama dos investimentos em renda variável. O ruim é que ele entrou na bolsa no pior momento, num topo histórico, quando todos os canais da TV estavam anunciando o bom momento da bolsa de valores de São Paulo. Este momento é bom para quem já está lá, não é um bom momento para entrada, é momento de saída.

bolsa de valores 300x242 A bolsa de valores está nervosa. O que faço?

E quando é o bom momento de entrada?

O atual. Bons papéis caindo e caindo. Papéis estão descontados, com preços bem aquém do justo. Este é o melhor momento para você, investidor pequeno, investidor que pensa no longo prazo, chegar à bolsa de valores.

Devo colocar tudo na bolsa?

Não. O ideal é você diversificar. Acredito que antes de ganhar você deseja não perder, e a melhor forma de não perder é diversificar seus investimentos. Diversificando você diminui o risco.

Na bolsa de valores invista em papéis de diversos setores econômicos. Também invista nas chamadas small caps, empresas menores e de menor liquidez e que, portanto, tem maiores chances de crescimento. O segredo é garimpar boas empresas.

Já em renda fixa, diversifique também. No Tesouro Direto compre títulos vinculados a SELIC, ao IPCA, e LTNs que tem rentabilidade pré-fixada. Atualmente o TD está comercializando também as NTN-C que são títulos com rentabilidade vinculada à variação do IGP-M. Fundos DI com baixas taxas, até 1% do valor investido, podem ser boas alternativas.

Em relação a imóveis, e o brasileiro historicamente adora imóveis, você tem que estar disposto a buscar boas oportunidades. Já pensou ao invés de ir negociar um imóvel com um corretor ou imobiliária, ir num fórum civil e tentar negociar com um casal que acaba de se divorciar? O negócio pode ser bom para você e para eles. Também bons negócios surgem ao se dividir herança, em geral os herdeiros tem pressa e aceitam ofertas para ter o dinheiro mais rapidamente.

Em geral crises são oportunidades. Invista em conhecimento, aprenda a lógica dos negócios e só siga a manada quando segui-la realmente for a melhor alternativa.

O melhor investimento que você pode fazer é em seu aprendizado. Está com dúvidas? Estude mais e invista depois. Oportunidades sempre terão.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
10 Comentários

Adicionar comentário