25 de junho de 2019

Invista em ETF e fique com a média

É impossível a maioria das pessoas estar acima da média. Esta afirmação é óbvia, eu sei. Mas no mundo dos investimentos as pessoas costumam se considerar acima. A média – o benchmark – do mercado de ações brasileiro é o Ibovespa, e se os retornos dos seus investimentos estiverem na média, parabéns, você é um vencedor.

É uma tendência natural do ser humano se considerar acima da média. Se você fizer uma pesquisa simples, perguntando a motoristas de automóveis se eles se consideram maus, bons ou motoristas na média, verá que a grande maioria, cerca de 90%, se classificará acima da média.

Concorda que isto é impossível? É uma impossibilidade matemática.

Temos uma tendência de supervalorizar o que fazemos, de nos considerarmos muito bons. Isto é prejudicial, pois nos leva a tomar atitudes perigosas.

Continuando com a analogia do motorista, pesquisas tem alertado que falar ao celular e dirigir é um dos causadores de acidentes no trânsito, mas, em geral, os motoristas não mudam este mau hábito, pois se acham melhores que a média: que são capazes de dirigir e falar simultaneamente.

Você fala ao celular quando está dirigindo?

O objetivo de um fundo de índice é refletir a média. Um ETF busca aderência ao seu indicador de mercado. O ETF bova11 busca espelhar o índice Bovespa, e o pibb11 o IBrX-50.

etf guide 300x214 Invista em ETF e fique com a média

Estes são os ETFs mais líquidos e conhecidos do mercado de fundos de índices brasileiro. Ainda existem outros ETFs, por exemplo, o smal11 que se adere ao índice de pequenas empresas.

Em minha humilde opinião, e visão de mercado, todo pequeno investidor deveria deixar o orgulho de lado e se contentar com a média, e ao invés de comprar ações individuais adquirir apenas ETFs aceitando estar na média.

Mas isto não acontece, a grande maioria dos investidores compra ações individuais, achando que podem superar o benchmark do mercado. E a maioria perde. São poucos os investidores que o superam.

Muitos investidores estão equivocadamente convencidos de que são mais espertos que os outros.

Nem mesmo os fundos ativos de investimentos, administrados por dezenas de gestores especialistas, e que trabalham em tempo integral, conseguem superar o mercado. Dois terços deles perdem, tomam pau do mercado.

Mas mesmo assim, por termos um ego enorme, achamos que iremos ganhar do mercado e insistimos em investir em ações individuais em detrimento ao ETFs.

Muitos alegam para isto os dois principais problemas dos ETFs: cobrança de 15% de IR na venda com lucro, e tributação dos dividendos, por estes serem incorporados ao valor da cota. É verdade, o trade-off existe, afinal é impossível ter o melhor dos mundos. Mas investir em ações individuais apresenta um custo elevado e exige muito mais tempo no mercado, pois é preciso monitorar empresas, definir o timing de entrada e saída, analisar balanços e assim monitorar a saúde das empresas que compõe a carteira.

Para as corretoras é vantagem que seus clientes comprem ações, pois elas ganham através de corretagem, e quanto mais seus clientes giram a carteira maior será o lucro delas.

Clientes que investem em ETFs giram pouco a carteira, pois adotam a filosofia de comprar e manter.

É natural o grande incentivo por parte das corretoras em divulgar as ações e ignorar os fundos de índice passivos.

Num mercado capitalista elas irão ofertar o produto que maior lucro lhes proporcione, e estas são as ações e não ETFs.

Investir em ações não deixa de ser arriscado por se investir em ETFs, se a média for negativa, você perderá. Haverá períodos ruins, e estes podem se estender por anos, mas a história mostra que, novamente a média, é positiva.

Na verdade quando o mercado está em baixa é o momento ideal para se investir. Pense, num mercado em baixa temos duas premissas: caos ou recuperação. A primeira não é sustentável, pois uma contingência de caos permanente é insustentável, pois desta forma nada teria valor. O planejamento deve ser voltado para uma recuperação, sendo o ideal estar comprado quando o mercado voltar a valorizar-se.

Concluindo

Por você não ser acima da média é inteligente se contentar com ela, e para isto nada melhor que investir em ETFs que refletem o mercado.

Siga o autor do blog no Twitter @jonatasrs

Receba nossos próximos artigos diretamente em seu e-mail assinando nossa lista, basta colocar seu e-mail na caixa abaixo.


Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
6 Comentários

Adicionar comentário