23 de maio de 2019

Os 4 principais tipos de investimento de renda fixa

4 principais tipos de investimento de renda fixa Os 4 principais tipos de investimento de renda fixa

Investir é uma das melhores maneiras de fazer seu dinheiro render. Mas algumas pessoas não se aventuram no mundo financeiro por receio de perder todas as economias. Ou ainda por ter ideias erradas do que significa, de fato, investir.

Para te ajudar nessa jornada de investimentos e deixar esse medo de lado, selecionamos 4 tipos de investimentos de renda fixa que podem encaixar-se no seu perfil. Confira!

O que são investimentos de renda fixa?

Os investimentos de renda fixa  são aplicações de seu dinheiro em títulos atrelados à taxa de juros (SELIC), calculada em aproximadamente 14,25%. Caso tenha interesse em saber mais sobre o tema, confira aqui tudo o que precisa saber sobre os investimentos de renda fixa!

Existem diversos tipos de investimentos com graus diferentes de rentabilidade, segurança e liquidez. Neste ínterim, os investimentos em renda fixa são os que apresentam os menores índices de risco. E por isso podem ser uma boa aplicação para aqueles que não têm interesse em arriscar o dinheiro economizado.

Quais são os principais tipos de investimentos em renda fixa?

1. Certificado de Depósito Bancário (CDBs)

Os CDBs continuam sendo um dos melhores tipos de investimento do mercado. Nesta operação, as entidades financeiras emitem títulos de dívidas que serão pagos com uma incidência de juros. Ou seja, o investidor empresta dinheiro para o banco, que retorna esse valor atrelado às taxas de juros CDI, cuja porcentagem é parecida com a taxa SELIC.

A aplicação é especialmente vantajosa porque apresenta um bom grau de seguridade, ao mesmo tempo em que apresenta rentabilidade considerável. O melhor negócio é fechar acordos com bancos de médio ou pequeno porte, que tendem a oferecer propostas mais benéficas ao cliente (com incidência de até 115% da taxa CDI sobre seus lucros).

2. Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRAs)

Os CRAs correspondem aos títulos do agronegócio, cujo lucro vem a partir do pagamento desses produtores rurais. Essas aplicações de renda fixa têm a lucratividade baseada na inflação e na taxa de juros DI ou pré-fixada.

No entanto, este não é dos investimentos mais simples: ele demanda um capital inicial de grande porte, e também é mais arriscado do que os CDBs. Porém, sua taxa de rentabilidade é bem maior (apesar da baixa liquidez).

3. Letras de Crédito Imobiliário (LCIs)

As Letras de Crédito Imobiliário são uma das melhores opções para quem deseja entrar no universo dos investimentos. Essas transações estão ligadas aos financiamentos bancários e são a alternativa que as entidades financeiras encontraram para aquele tipo de investimento. Neste caso, o banco emite um título de LCI, que é vendido a outro investidor para subsidiar o financiamento.

A grande vantagem de uma LCI, além de seu baixíssimo risco (uma vez que o pagamento de financiamentos tem como garantia o próprio imóvel), é que sua renda não é embutida no Imposto de Renda.

4. Letra de Crédito do Agronegócio (LCAs)

A Letra de Crédito do Agronegócio funciona de maneira similar às LCIs, mas com uma simples diferença: enquanto as LCIs trabalham com o financiamento bancário, as LCAs são subsidiados por produtores rurais, que precisam daquele dinheiro para financiar sua safra ou suas terras.

Assim como as LCIs, as LCAs também trazem isenção do Imposto de Renda, além de serem garantidas pelo Fundo Garantidor de Crédito em quantias de até R$ 250.000. Para aqueles que não têm muita experiência na área e procuram por um investimento que não dê muita dor de cabeça, trata-se de uma opção interessante a ser considerada.

O universo das aplicações monetárias não é apenas o tudo ou nada com o seu dinheiro. É possível encontrar investimentos de renda fixa mais adequados ao seu perfil e objetivo; basta pesquisar, analisar e descobrir o melhor negócio.

Se você tem interesse em descobrir mais sobre o tema, curta a nossa página no Facebook e receba em primeira mão todas as nossas dicas!

Artigos Relacionados:

Efetividade Finanças Pessoais

Outros textos de Efetividade Finanças Pessoais

Adicionar comentário