25 de junho de 2019

PIB e SELIC afetando seus investimentos

Como foi amplamente noticiado na última semana o PIB brasileiro teve crescimento de 9% no primeiro trimestre desse ano em comparação ao primeiro trimestre de 2009.

Vamos conversar um pouco sobre como o crescimento do PIB pode afetar nossos investimentos.

O PIB é calculado pelo IBGE e representa todos os bens e serviços produzidos pelo país durante um dado período de tempo. O PIB é calculado pela diferença entre o que o país importa e exporta. Ele mede o nível de atividade econômica do país.

O crescimento do PIB brasileiro indica que produzimos mais, que o desenvolvimento econômico cresceu e que mais exportamos do que importamos. Isso é positivo para o país, o crescimento do PIB com a inflação sobe controle é o cenário ideal para um país.

 PIB e SELIC afetando seus investimentos

Se a atividade econômica brasileira cresceu as indústrias produziram mais, venderam mais e consequentemente lucraram mais. Os sócios dessas empresas irão receber os rendimentos desse crescimento. Sendo assim, quem tem ações de empresas que cresceram, receberão dividendos maiores.

Com o crescimento do país empresas de commodities – produtos em estado bruto ou com pequeno grau de industrialização – acabam sendo favorecidas. Empresas como Petrobras, Gerdau e CSN são empresas que comercializam commodities e crescem com o crescimento da economia. 65% do que exportamos são commodities.

Com o país exportando a entrada de dólares no país aumenta, isso leva a uma tendência de queda do preço do dólar em comparação ao real. Isso pode ser benéfico para empresas que importam produtos taxados em dólar. A taxa de cambio brasileira é flutuante, é determinada pela oferta e demanda do dinheiro. Essa relação tende a um equilíbrio, hora beneficiando exportadores hora importadores.

Outra conclusão é que com o crescimento das indústrias contratações acontecem. O número de desempregados diminuiu e mais dinheiro circula na economia. Isso gera inflação. O governo para segurar a inflação aumenta a taxa básica de juros e isso é positivo para quem tem títulos públicos que são remunerados pela SELIC.

 PIB e SELIC afetando seus investimentos

CDB com base em porcentagem do CDI é uma boa opção. CDI são taxados no sentido da taxa básica do governo. Se a SELIC sobe o CDI também sobe.

Fundos e títulos DI seguem o mesmo raciocínio

Quem investe em títulos com taxas pré-fixadas acredita que a inflação não crescerá. Com o crescimento do PIB e aumento da inflação isso é um tiro no pé. Há títulos pré-fixados que chegam a ter remuneração negativa.

Ainda podemos falar do fator psicológico que esses índices provocam. A BOVESPA sobe e desce freneticamente a cada anúncio de uma nova taxa econômica. A tendência tende num primeiro momento a ser de valorização pelo crescimento das indústrias, mas poderá ter queda ao se elevar a taxa básica. O governo passa a remunerar melhor seus credores e investidores poderão preferir investir em renda fixa atrelada a SELIC.

Analisei apenas alguns fatores de forma superficial que podem afetar nossos investimentos com os anúncios econômicos do governo. Eles precisam ser estudados mais a fundo para a tomada de decisão com segurança. Ao investir, analise com cuidado onde você coloca seu dinheiro e lembre-se da velha regra: não coloque todos os ovos numa única cesta.

Sucesso sempre.

Artigos Relacionados:

Jônatas Rodrigues da Silva

Administrador na Universidade Federal de São Carlos e professor do Estado de São Paulo no Centro Paula Souza. Autor do livro Método para a Educação Financeira: da Sensibilização à Ação.

Outros textos de Jônatas Rodrigues da Silva
5 Comentários

Adicionar comentário